mantenha-se informado com o canal rss da secção

Quinzenalmente publicamos o comentário de um especialista em suínos

4 comentários

Qual é a melhor idade para desmamar? (I de II)

02-Set-2010 (há 3 anos 11 meses 26 dias)


Josep Barceló. Consultor porcino. Espanha.

imprimir1afranciscosm

Se há uns anos atrás tivessemos feito esta pergunta a médicos veterinários, técnicos especializados e produtores suínos, seguramente a imensa maioria teria respondido que o melhor seria desmamar às três semanas. Mas a produção suína está em mudança constante e a sua evolução questiona essa antiga verdade absoluta em relação à idade para o desmame. Neste artigo tentar-se-á explicar o porquê de, em muitos sistemas de produção, se estar a voltar a atrasar a idade ao desmame para os 28 dias, de modo a conseguir o objectivo de produzir um mínimo de 200 kg de peso desmamado por porca produtiva e ano. Para conseguir este objectivo uma exploração que desmama ás 3 semanas em média ( 18 – 23 dias) com um peso aceitável de 6,5 kg p.v. deve desmamar 30,76 leitões/porca/ano, enquanto que a mesma exploração desmamando aos 28 dias ( 25 - 30 dias) com um peso de 7,5 kg pode desmamar 26,66 leitões/porca/ano. Para os 27 – 30 dias (no caso de desmamar mais de um dia por semana) com 8,0 kg é preciso desmamar 25 leitões/porca/ano.

O desmame é uma enorme mudança para o leitão e uma grande mudança para a porca. Em primeiro lugar serão analisadas as mudanças sofridas pelos leitões, depois as que ocorrem nas porcas reprodutoras e para finalizar uma análise económica.

O leitão:
Basicamente as mudanças mais importantes são:

  - Mudança de dieta.
- Stress do desmame.

Mudança de dieta:
O leite é o alimento ideal para os leitões lactantes, representa um fornecimento de nutrientes essenciais para o crescimento dos leitões, confere-lhes alguma imunidade e estimula o desenvolvimento fisiológico do leitão. Se comparamos o leite com a ração podemos observar o seguinte:

 
- A produção de leite alcança o seu máximo aos 21 dias e mantém-se elevada até quase às 5 semanas de lactação. O desmame aos 25 – 30 dias não se produz quando a porca já produz menos leite, os leitões estão a ser amamentados e a produção continua muito elevada (8 – 10 kg por dia).

- O valor nutritivo do leite é superior ao das rações administradas nesta fase (maior qualidade/qualidade dos componentes e maior digestibilidade).

- Quando existe uma produção normal/ boa de leite por parte da porca, durante os primeros 13 – 15 dias de vida o leitão praticamente não come ração. Quando se desmama às 3 semanas só existe uma semana para que o leitão se adapte ás novas rações. Mesmo que as rações de hoje em dia tenham melhorado muito em qualidade e digestibilidade, o desmame de 3 semanas conduz a um enorme stress nutricional, posto que a maioria dos leitões não se adaptaram ás rações e em consequência a sua ingesta é perigosamente baixa durante os primeiros dias pós-desmame. Isto leva a um marcado “estado catabólico”, baixos crescimentos, maus índices de transformação e problemas gastrointestinais (basicamente diarreias). O consumo de ração quando se desmama ás 4 semanas representa 15% do total da ingesta dos dias anteriores ao desmame, enquanto que é igual ou inferior a 5% quando se desmama ás 3 semanas; em outras palavras, entre a 3ª e a 4ª semana é triplicado o consumo de ração.

- O leite contem certas quantidades de IgA que lhe confere uma melhor protecção que a ração. Por outro lado, a imunidade activa no leitão é muito mais eficaz ás 4 semanas que ás 3 semanas. Contra as infecções precoces, o denominado “gap imunitário” é inferior ás 4 semanas.

- A actividade enzimática e o desenvolvimento intestinal é superior ás 4 semanas, sendo este um factor importante a considerar na absorção e digestão de nutrientes que afecta o crescimento e índice de transformação.



Stress do desmame:
A descrição dos acontecimentos que um leitão sofre ao ser desmamado são, por si só, uma amostra contundente do enorme stress que o leitão sofre ao ser desmamado. As mudanças que sofre são as seguintes:

  - Perda da protecção da sua mãe.

- Mudança de lugar e de ambiente.

- Mudança para grupos de maior tamanho (normalmente companheiros diferentes).

- Mudança de dieta e de comportamento nutricional:
    • Passa de dieta líquida e quente a, normalmente, sólida seca.

• Existe uma mudança substancial na composição e qualidade nutritiva (contacto geralmente brusco com proteína vegetal).

• Não existe comunicação colectiva nas refeições.

• Deixa de mamar a cada 40 – 60 minutos.
  - Deixa de receber as defesas do leite materno.



Definitivamente, deve aprender a “ir à sua vida”. Este stress é um factor adicional que o impede de superar de forma “fácil” a continuidade do crescimento e a absorção dos alimentos durante os primeiros 3 – 5 dias depois do desmame.

A separação da porca é acompanhada de característicos e fortes grunhidos/chamadas por parte do leitão, que se produzem imediatamente depois do desmame. A frequência e tom destas “chamadas” foram utilizadas como um método para avaliar o nível de stress que é sofrido pelo leitão ao desmame. Os leitões que se alimentam pior e que têm mais frio gritam mais alto e com mais frequência. A frequência das chamadas é mais elevada no princípio do desmame, mas os leitões desmamados com 3 semanas realizam mais “chamadas” (3,6 chamadas/minuto) que com 4-5 semanas (2,3 – 2,9 chamadas/minuto).

Todos estes argumentos fazem-nos pensar que, relativamente ao leitão, parece razoável que seja melhor desmamar aos 28 dias de média em vez dos 21 dias de vida. Em primeiro lugar, a diferença de peso em leitões desmamados entre as 3 e 4 semanas é de 0,5 – 0,9 kg a mais por leitão, a favor dos 28 dias. Os dados produtivos de leitões desmamados ás 4 semanas são melhores para o seu futuro rendimento produtivo de fases posteriores. Esta eficiência na fase de desmame (20 kg p.v.) expressa-se numa melhoria de 5 - 10% em crescimento, 1 -5% no índice de transformação e de 20- 60% na mortalidade. Na fase de engorda, em experiências de campo, de sistemas produtivos industriais com muitos animais foi comprovado que uma melhoria de peso ao desmame de meio kg leva a uma melhoria de 1,5 – 2,5 kg com a mesma idade no final da engorda, quando o peso de abate é de 100 kg de p.v. Tudo isso nos leva a afirmar que um adequado peso ao desmame, para um óptimo rendimento nas fases de crescimento e engorda, deve ser de um mínimo de 7,5 – 8,0 kg de média, não superando 10% de animais com menos de 6 kg de p.v. Este objectivo é assumível desmamando aos 28 dias e é muito difícil se o desmame é aos 21 dias.

Nota do autor: quero expressar o meu agradecimento a PigChamp Pro- Europa e ao Serviço Técnico de Cefusa pelo fornecimento de dados de campo sem os quais é difícil de argumentar o que se expressa neste artigo.

Os peritos opinam

Alternativa à castração cirúrgica sem anestesia (I)15-Set-2010 há 3 anos 11 meses 13 dias
Castração Cirurgica sem Anestesia18-Ago-2010 há 4 anos 10 dias

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3

Joelson Chaves Silva05-Jul-2013(há 1 anos 1 meses 23 dias)

minha vizinha cria porcos e os leitões tem um tipo de tosse e um, tipo e tremedeira, é normal.

Florence24-Ago-2014(há 4 dias)

Joelson, se a tossse for frequente não é normal, e associada a tremores pode ser um quadro de tuberculose no rebanho. O mais indicado é consultar um veterinário para que possa acompanhar os animais, pois a tuberculose pode passar para os humanos, quando em contato de formas incorretas.

pecaimao22-Jul-2013(há 1 anos 1 meses 6 dias)

há "anos" que venho advogando este esquema/programa de desmame...
era tão evidente....desmamra leitões quando as porcas estão noa auge da lactação..pode ser que desta vez nos adiantemos aos "expertos" do bem estar animal!

Obrigado

Insere um novo comentário

captcharecarregar