Leia este artigo em:

Biossegurança nas cargas. Como minimizar um risco inevitável durante a movimentação de animais

Considerações importantes para o desenho de cais de carga para porcos que sejam biosseguros e práticos que minimizem a transmissão de doenças durante o processo de carga de animais.

Os veículos e os seus condutores representam um dos maiores riscos na biossegurança no que diz respeito à transmissão de doenças às explorações de produção de suínos. Apesar de que a tecnologia de limpeza e desinfecção de camiões e reboques seja melhor que nunca, os produtores devem sempre assumir que cada carga representa um risco de infecção. Este risco é especialmente importante com os veículos comerciais que transportam animais de explorações com diferentes estados sanitários.

Quando um camião transporta animais que estão a eliminar um agente infeccioso, ele fica contaminado pelo que uma descontaminação posterior eficaz é crucial. Levar a cabo uma lavagem e desinfecção de alta qualidade é difícil e nem sempre se faz bem. Inclusive quando um veículo está descontaminado adequadamente, o risco de que o condutor introduza algum agente infeccioso de fora do camião pode ser um risco acrescentado.

Reduzir estes riscos é o objectivo de muitos veterinários e produtores. Neste artigo, centramo-nos nalguns dos aspectos chave das instalações de transferência (ou seja, cais de carga) bem planeadas e desenhadas, que se utilizam tanto para introduzir animais na exploração (ou seja, marrãs e varrascos) como para tirar (ou seja, leitões, porcos e porcas que vão para abate).

Mas, como é um cais ideal?

Localização do cais: O ideal é que o cais esteja situado no perímetro da área de tráfego controlado das instalações onde estão os porcos, para que exista a maior separação possível com a zona onde estão os animais. Por vezes, o cais está fora do perímetro das instalações da exploração. Nestes casos, os animais são movimentados por camiões internos e evita-se que os camiões externos contaminem a área adjacente à exploração. Este resultado atingiu-se em muitas explorações com o uso de cais externos e são muito práticos quando se necessita movimentar uma pequena quantidade de animais (imagem 1). A localização do cais deve permitir que o condutor do transporte de gado veja a rampa de carga enquanto faz marcha atrás.

Imagem 1. Cortesia de Super Gro Site 1 e do Dr. Tim Snider.
Imagem 1. Cortesia de Super Gro Site 1 e do Dr. Tim Snider.

Desenho do cais: Na produção suína, há muitos desenhos de cais que são funcionais e biosseguros. Os três pontos principais para um bom desenho são:

  • Que tipo de reboques se usam? As dimensões da plataforma e da rampa de carga devem estar bem adaptadas aos reboques, para que os animais possam ser transferidos de forma biossegura. As imagens 2, 3 e 4 mostram vários tipos de camiões que servem explorações de suínos em diferentes partes do mundo.

Imagen 2. Camião interno para movimento de um menor número de animais. Cortesia de DanAg Group, China.
Imagen 2. Camião interno para movimento de um menor número de animais. Cortesia de DanAg Group, China.

Imagem 3. Camião usado na Europa. Fonte: NEWNION e, Imagem 4. Camião usado na América do Norte. Fonte: Illinois Truck Enforcement Association
Imagem 3. Camião usado na Europa. Fonte: NEWNION e, Imagem 4. Camião usado na América do Norte. Fonte: Illinois Truck Enforcement Association

  • Que protocolos de biossegurança pedimos aos trabalhadores da exploração e aos transportadores? Os produtores não só devem informar sobre os protocolos de biossegurança durante a carga de animais aos trabalhadores e condutores dos camiõs antes da actividade, mas também deverão ter cais bem desenhados que facilitem o cumprimento destes protocolos. Os indicadores físicos do limite das zonas limpa e suja, como linhas vermelhas no solo o através de barras horizontais, que permitam o movimento dos porcos mas impeçam o movimento das pessoas, são sempre úteis para recordar os trabalhadores e os condutores dos camiões que a contaminação cruzada coloca a exploração num elevado risco de infecção (imagem 5 e 6). Nalgumas regiões, a incorporação de uma área bem desenhada para que o condutor do camião entre no reboque é uma excelente forma de evitar a contaminação da área que rodeia o cais evitando que este entre na área de carga. Como se mantém a rampa de carga limpa e correctamente descontaminada sob diferentes condições climáticas? O ideal é que as rampas de carga estejam fechadas, isoladas e possam ser aquecidas quando seja necessário. Estes aspectos de desenho tornam-se especialmente importantes em climas mais frios que impedem a efectividade dos desinfectantes e favorecem a sobrevivência dos organismos durante os meses de Inverno (imagem 7). Além disso, devem ser feitos de materiais que permitam uma limpeza e desinfecção efectivas (que incluem a secagem!!) após cada uso. A drenagem da rampa de carga deve garantir que as águas de limpeza não entram no edifício.

Imagem 5. Cais aberto de alumínio no perímetro de uma exploração, China. Cortesia DanAg Group.
Imagem 5. Cais aberto de alumínio no perímetro de uma exploração, China. Cortesia DanAg Group.

Imagem 6. Cais semi-fechado com portas e barra horizontal para separar fisicamente a zona suja da limpa. Cortesia de Agropecuaria Los Girasoles, Espanha.
Imagem 6. Cais semi-fechado com portas e barra horizontal para separar fisicamente a zona suja da limpa. Cortesia de Agropecuaria Los Girasoles, Espanha.

Imagem 7. Cais coberto, Minnesota, EUA.
Imagem 7. Cais coberto, Minnesota, EUA.

Objectivo do cais: Para certos tipos de explorações de produção, a biossegurança das cargas de animais pode-se aumentar com cais separados para os processos de carga e descarga. Uma análise rápida do tráfego da exploração para compreender perfeitamente como se movem os veículos dentro das instalações da exploração ajudará a concentrar-se nas áreas de maior risco de contaminação cruzada. No geral, os cais limpos para receber e para movimentar animais dentro da exploração estarão numa localização separada dos cais para animais que vão para abate (porcos e porcas de refugo). Em última instância, os dois tipos de cais dependerão do estado de limpeza dos veículos e da prioridade de manter a sanidade dos animais que necessitam ser movimentados. Num segundo artigo sobre a biossegurança dos cais, iremos discutir outras ideias sobre como realizar uma análise de tráfego na exploração e outros detalhes sobre desenhos mais comuns de cais de carga.

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags