Leia este artigo em:

Respostas imunitárias dos porcos em explorações estáveis e instáveis a PRRS

O objectivo deste trabalho foi comparar o perfil e o curso temporal da imunidade humoral e celular em explorações estáveis e instáveis, respectivamente.

3ª feira 5 Novembro 2019 (há 1 meses 5 dias)
gosto

A Síndrome Reprodutiva e Respiratória Suína (PRRS) é um modelo evasivo de hospedeiro / vírus em que a doença é determinada pela patogenicidade do vírus, susceptibilidade e fenótipo da raça suína, carga microbiana infecciosa e condições ambientais. O controlo efectivo da doença nos países endémicos para o PRRS corresponde à "estabilidade", ou seja, uma situação sem sinais clínicos de PRRS na população reprodutiva e sem virémia em porcos de desmame.

O objectivo deste trabalho foi comparar o perfil e o curso temporal da imunidade humoral e celular em explorações estáveis e instáveis, respectivamente. Em particular, o vírus PRRS (PRRSV) foi investigado em amostras de soro e agrupou fluídos orais usando RT-PCR em tempo real, IgRS e IgG específicas de PRRSV em fluídos orais, anticorpos IgG séricos e resposta celular (liberação específica de interferon gama de PRRSV) em amostras de sangue total. Esses parâmetros foram medidos para identificar possíveis discrepâncias no desenvolvimento e na cinética da resposta imunitária ao PRRSV. As primeiras sem PRRS foram infectadas regularmente após entrar em explorações estáveis e instáveis. Num ciclo aberto, a infecção por PRRSV numa exploração de suínos instável pode ser demonstrada em todos os grupos de porcos, incluindo leitões.

Devem ser destacados quatro principais resultados : A) a precocidade da resposta Ac nos fluidos orais do grupo foi geralmente semelhante à registada nos soros; B) a circulação do PRRSV foi consistentemente detectada em todas as faixas etárias em explorações instáveis, ao contrário das estáveis; C) uma resposta precoce e equilibrada de IgA e IgG em fluidos orais só foi observada em propriedades estáveis; D) uma resposta precoce do IFN-gama era frequentemente observada após a infecção por PRRSV em explorações estáveis, diferentemente das instáveis. Estes foram caracterizados pelas respostas do IFN-gama em leitões, provavelmente devido à transferência da imunidade materna. Mais importante ainda, a resposta da IgA na mucosa foi associada à cessação da excreção do vírus em amostras de fluido oral em explorações instáveis do PRRS.

Estes resultados indicam que um perfil característico da resposta imunitária ao PRRSV pode ser encontrado em explorações estáveis ao PRRS. Portanto, os parâmetros imunitários descritos podem representar um sistema útil para avaliar a adaptação efectiva ao PRRSV com base na aclimatação dos reprodutores e no maneio do fluxo de animais.

Drigo M, Giacomini E, Lazzaro M, Pasotto D, Bilato D, Ruggeri J, Boniotti MB, Alborali GL, Amadori M; Comparative Evaluation of Immune Responses of Swine in PRRS-Stable and Unstable Herds; Vet Immunol Immunopathol. 2018 Jun;200:32-39. doi: 10.1016/j.vetimm.2018.04.007.

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags