Leia este artigo em:

México: acções e medidas para prevenir a entrada da PSA

O Senasica capacita o pessoal técnico para responder rapidamente perante a presença de uma emergência sanitária devida a Peste Suína Africana

5ª feira 2 Maio 2019 (há 2 meses 17 dias)
gosto

Com o objectivo de fortalecer as acções iniciadas para prevenir a entrada da Peste Suína Africana (PSA) no México, a Secretaría de Agricultura y Desarrollo Rural (Sader) aplicou diversas medidas como a de restringir a importação de produtos de risco, capacitar permanentemente os técnicos e reforçar, de forma constante, as acções de inspecção zoosanitária comercial e turística.

Paralelamente, estabeleceu acordos com o sector produtivo para elevar os níveis de biossegurança nas explorações de todo o país.

O Servicio Nacional de Sanidad, Inocuidad y Calidad Agroalimentaria (Senasica) não permite a importação comercial ou turística de carne e produtos cárneos de porco dos 20 países que reportaram focos recentes da doença: Bélgica, Bulgária, Burundi, Chade, China, Costa do Marfim, Estónia, Hungria, Quénia, Letónia, Lituânia, Mali, Moldávia, Polónia, República Checa, Roménia, Rússia, África do Sul, Ucrânia e Zâmbia.

Dirigentes do organismo reuniram com suinicultores com a finalidade de aumentar as medidas de biossegurança nas explorações de produção, para que estes apliquem as Boas Práticas de Produção e que informe de imediato se detectarem alguma anomalia nas suas explorações.

Como medida adicional, o Senasica, em coordenação com a Associação Mexicana de Veterinários Especialistas em Suínos (Amvec), trabalha na integração de um novo Manual de Biossegurança para as Suiniculturas – que se incluirá nas Boas Práticas de Produção Pecuária —, com a finalidade de elevar as medidas preventivas nas explorações de produção.

Em coordenação com Agrupamentos de Produtores, como a Organización de Porcicultores del País (Oporpa), realizaram-se visitas a portos e aeroportos para observar as actividades dos agentes do Senasica nos pontos de entrada no país.

Por outra lado, a Direcção-Geral de Inspecção Fitozoosanitária do Senasica leva a cabo acções em todos os pontos de entrada no país, encaminhadas para a prevenção da introdução da PSA no México.

Perante o alerta internacional devido à dispersão desta doença que afecta os suínos e não existe no México, o Senasica accionou outras medidas tendentes a minimizar o risco da sua entrada no território mexicano, especialmente em vôos provenientes de países afectados que chegam a Tijuana e à Cidade do México, principalmente.

Por isso, é obrigatória a utilização de pedilúvios sanitarios em vôos internacionais e a realização de inspecções duplas, com o apoio de cães para detectar produtos agro-alimentares de risco, a fim de evitar a sua entrada no país.

Para além disso, os agentes selam as cozinhas e incineram os resíduos de comida de barcos e aviões para destruir qualquer possibilidade de que a doença entre no país.

Quarta-Feira, 24 de Abril de 2019/ SADER/ México.
https://www.gob.mx/sader

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags

Última hora

Um boletim periódico de notícias sobre o mundo suinícola

Não estás inscrito na lista

12-Jul-201905-Jul-201928-Jun-201921-Jun-2019

faz login e inscreve-te na lista

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui