Leia este artigo em:

Suplementação com L-arginina em dietas de porcas no final da gestação

O objectivo do presente estudo foi determinar o efeito da suplementação com L-arginina HCl na dieta das porcas no final da gestação na composição do leite e rendimento dos leitões.

6ª feira 28 Dezembro 2018 (há 7 meses 24 dias)
gosto

Durante a última década, estudos relativos à suplementação com L-arginina HCl durante a gestação mostraram um aumento do rendimento de porcas e leitões.

O objectivo do presente estudo foi determinar o efeito da suplementação com L-arginina HCl na dieta das porcas no final da gestação na composição do leite e rendimento dos leitões. Um total de 166 porcas foram distribuídas por um de quatro tratamentos dietéticos: dieta de gestação convencional (CON, n = 66), ou dieta CON suplementada com L-arginina HCl a 0,5% (ARG-0,5, n = 42) ou a 1,0% (ARG-1,0, n = 41) ou com 1,7% de L-alanina (ALA, n = 17). As dietas da experiência foram fornecidas dos 85 dias de gestação até ao parto.

Foram determinados em 2292 leitões recém-nascidos de 166 ninhadas o número de leitões nascidos vivos, o peso ao nascimento dos leitões, a saturação de oxigénio no sangue (SatO2) e a frequência cardíaca. Aos 7 e 21 dias de vida foi determinada a mortalidade e o peso corporal dos leitões. Também foi determinado o rendimento da lactação entre os dias 0–7 e 7–21 e a perda relativa de gordura dorsal das porcas, assim como o consumo de colostro dos leitões e a concentração de IgG do colostro.

No grupo ARG-0,5 foi observado um aumento da proporção de leitões nascidos vivos por ninhada (+ 9,8%), uma redução dos nascidos mortos (-8,3%) e uma tendência ao aumento da proporção de leitões com peso ao nascimento acima de 1,35 kg (+ 6,4%) em comparação com o grupo ALA. Em comparação com o grupo CON, ARG-0,5 aumentou o peso ao nascimento (+ 7,0%) e a SatO2 (+ 3%), reduziu a frequência cardíaca (-20%) e tendeu a reduzir a perda relativa de gordura dorsal (-4,4%). Não foram observadas diferenças entre ARG-1,0 e ARG-0,5. A variação do peso ao nascimento dentro da ninhada, o ganho médio diário, a mortalidade antes do desmame, o consumo de colostro e o rendimento da lactação não foram afectados pelo tratamento. No entanto, a concentração de IgG no colostro ao início do parto nas porcas ARG-1,0 (116 mg/ml) foi maior que nas porcas CON, ARG-0,5 e ALA (85,74 e 78 mg/ml, respectivamente).

Em conclusão, a suplementação da dieta com L-arginina HCl aos níveis de 1% e 0,5% em porcas no final da gestação aumentaram favoravelmente a proporção de leitões nascidos vivos, o peso ao nascimento dos leitões e a saturação de oxigénio no sangue dos leitões ao nascimento. Além disso, o uso de L-arginina HCl a 1,0% aumentou a concentração de IgG no colostro, ainda que a produção de leite não tenha sido afectada.

Nuntapaitoon, M., Muns, R., Theil, P. K., and Tummaruk, P. L-arginine supplementation in sow diet during late gestation decrease stillborn piglet, increase piglet birth weight and increase immunoglobulin G concentration in colostrum. Theriogenology 121 (2018): 27-34. https://doi.org/10.1016/j.theriogenology.2018.08.012

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags