Leia este artigo em:

Culturas na UE: condições de seca podem tornar-se norma

Um recente artigo do JRC alerta que as condições extremas de seca que afectaram as culturas durante a Primavera / Verão de 2018 no centro e norte da Europa poderão tornar-se a norma em 25 anos e apela a medidas de adaptação inovadoras para abordar estas situações extremas.

6ª feira 21 Junho 2019 (há 1 meses)
gosto

Os meses de Primavera e Verão de 2018 foram marcados por uma combinação única de condições de seca no centro e Norte da Europa e condições anormalmente húmidas no Sul da Europa, de acordo com o Joint Research Centre da CE.

Por exemplo, a Alemanha foi afectada por uma seca de 6 meses que durou toda a Primavera e Verão, enquanto a Primavera foi particularmente húmida na Península Ibérica. Ambos os extremos afectaram o rendimento das colheitas. As secas causaram reduções totais nos rendimentos das principais culturas de até 50%. Isso foi parcialmente compensado por ganhos de produtividade no sul da Europa de até 34%.

Essa justaposição de anomalias climáticas opostas (secas na parte Norte da Europa e condições anormalmente húmidas no Sul, um fenómeno conhecido como "water seesaw") foi única nos últimos 500 anos.

As projecções climáticas futuras, baseadas em modelos globais de alta resolução, mostram que o sul da Europa tem menos probabilidade de experimentar condições favoráveis para o crescimento das culturas no futuro. Por outro lado, secas semelhantes às de 2018 podem tornar-se comuns após 2043.

Necessidade urgente de estratégias inovadoras de adaptação à seca

Perante este desafio, são urgentemente necessárias estratégias inovadoras de adaptação da agricultura europeia para lidar com os episódios recorrentes de seca que provavelmente não irão beneficiar do padrão invulgar de "water seesaw" observado no ano passado.

Segundo o cientista do JRC, Andrea Toreti, "as projecções mostram que o clima está a ficar mais quente e que situações extremas vão ocorrer". No ano passado, a Europa teve sorte com as condições húmidas incomuns no sul da Europa, o que mitigou os efeitos da seca na produção geral de alimentos ".

"No entanto, não podemos contar com tais anomalias para garantir a segurança alimentar no futuro, e no ano passado foi um alerta. Há uma necessidade urgente de melhorar cientificamente a avaliação de risco e impacto ao considerar esses eventos recorrentes / concorrentes, os problemas que eles podem causar e projectar novas estratégias de adaptação para enfrentá-los ".

Segunda-feira, 17 de Junho de 2019/ JRC/ União Europeia.
https://ec.europa.eu/jrc

Artigos relacionados

Notícias

OIE: novos estatutos sanitários21-Jun-2019 há 1 meses

Notícias da Nutrição

UE: origem da proteína nas rações23-Mai-2019 há 1 meses 28 dias

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags

Última hora

Um boletim periódico de notícias sobre o mundo suinícola

Não estás inscrito na lista

19-Jul-201912-Jul-201905-Jul-201928-Jun-2019

faz login e inscreve-te na lista

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui