Leia este artigo em:

Níveis de lactose e suplementação com probióticos em dietas de leitões desmamados

O objectivo do presente estudo foi avaliar as interacções entre o nível de lactose e um probiótico no rendimento dos leitões desmamados, na digestibilidade dos nutrientes, na microbiota intestinal e na emissão de gases fecais nocivos.

6ª feira 2 Novembro 2018 (há 12 dias)
gosto

Recentemente foi avaliado o potencial da suplementação com probióticos e níveis de lactose na dieta para melhorar o rendimento dos leitões durante as primeiras semanas pós-desmame.

O objectivo do presente estudo foi avaliar as interacções entre o nível de lactose e um probiótico no rendimento dos leitões desmamados, na digestibilidade dos nutrientes, na microbiota intestinal e na emissão de gases fecais nocivos.

Um total de 240 leitões desmamados de 24 dias de idade foram distribuídos por um de quatro tratamentos dietéticos num estudo factorial 2x2: 1) dieta controlo sem probióticos nem suplementos de lactose; 2) dieta baixa em lactose (100 g/kg); 3) dieta de maior nível de lactose (200 g/kg) e 4) dieta suplementada com probióticos (0,5 g/kg). As dietas experimentais foram fornecidas durante 28 dias.

Não foram detectadas interacções entre os níveis de lactose e a suplementação com probióticos no GMD, IMD, índice de conversão e coeficiente de digestibilidade aparente do tracto total (CDATT) da matéria seca (MS), energia bruta (EB) e proteína bruta (PB). Os leitões alimentados com uma dieta suplementada com probióticos mostraram uma melhoria no GMD e IMD, enquanto que a suplementação com um alto conteúdo de lactose não teve um efeito significativo sobre estes dois parâmetros. No entanto, os leitões alimentados com dietas com 200 g de lactose/kg apresentaram um CDATT significativamente mais alto para a MS e EB em comparação com os leitões alimentados com dietas com um baixo nível de lactose. Além disso, o CDATT para a MS foi maior tanto nas dietas com alto conteúdo de lactose como de probióticos. Em relação à microbiota intestinal, a presença de E. coli no íleo e cego, reduziu-se nos tratamentos suplementados com probióticos. A colonização ileal de Salmonella spp. reduziu-se nas dietas suplementadas com probióticos e com alto nível de lactose. Não foram observados efeitos sobre os parâmetros morfológicos entre tratamentos dietéticos. As emissões fecais totais de carbono orgânico e de amónio foram menores nos leitões que receberam um alto nível de lactose ou dietas suplementadas com probióticos.

A suplementação probiótica melhorou o rendimento do crescimento e a digestibilidade da MS, enquanto que a suplementação com um alto conteúdo de lactose apenas aumentou a digestibilidade da MS. No entanto, tanto as dietas altas em lactose como as probióticas diminuíram a emissão de carbono orgânico e amónio.

Jeong, Y.D., Ko, H.S., Hosseindoust, A., Choi, Y.H., Chae, B.J., Yu, D.J., Cho, E.S., Kim, Y.H., Shim, S.M., Ra, C.S. and Kim, Y.I. 2018. Effects of Dietary Lactose Levels and Supplementation of Probiotics on Growth Performance in Weanling Pigs. Journal of Animal Science, 96, pp.42-43.https://doi.org/10.1093/jas/sky073.080

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags