Leia este artigo em:

Comportamento de primíparas para com seus leitões em função do seu tipo de alojamento e parto

Se o comportamento materno for influenciado pelo nível de interacção mãe-leitão, isto pode persistir nas gerações posteriores através do comportamento maternal alterado da descendência feminina.

3ª feira 6 Dezembro 2016 (há 2 anos 9 meses 16 dias)
gosto

O nível de cuidados maternos experienciados pelos leitões durante os primeiros dias de vida pode influenciar no seu comportamento futuro.

Se o comportamento materno for influenciado pelo nível de interacção mãe-leitão, isto pode persistir nas gerações posteriores através do comportamento maternal alterado da descendência feminina.

No presente estudo, foi observado o comportamento pós-parto das primíparas e dos seus leitões utilizando primíparas nascidas e criadas em jaula de parto (C) ou num curral com confinamento temporário (P) que foram observadas após o parto numa jaula ou curral com confinamento temporário. Portanto, houve quatro grupos experimentais: CC (nascida e criada em jaula, parto em jaula, N = 8), CP (nascida e criada em jaula, parto em curral, (N = 6), PC (nascida e criada em curral, parto em jaula (N = 5) e PP (nascida e criada em curral, parto em curral (N = 8). As primíparas e seus leitões foram observados durante os 3 primeiros dias após o parto.

Não houve diferenças entre os grupos para o total de nascidos, nascidos vivos, desmamados ou mortalidade dos leitões. As primíparas do grupo PP interagiram mais com as porcas/primíparas dos currais adjacentes em comparação com qualquer dos outros 3 grupos (P <0,05). As primíparas nascidas e criadas em currais mexeram mais nos seus leitões e vocalizaram mais para eles em comparação com as primíparas nascidas e criadas em jaulas de parto. Os leitões nascidos de primíparas PP passaram mais tempo activos em comparação com todos os outros grupos.

O presente estudo mostrou que a expressão dos comportamentos dirigidos para os leitões por parte das suas progenitoras está influenciada pelo sistema em que nasceu e foi criada a porca.

Kirsty L. Chidgey, Patrick C.H. Morel, Kevin J. Stafford, Ian W. Barugh. The performance and behaviour of gilts and their piglets is influenced by whether they were born and reared in farrowing crates or farrowing pens. Livestock Science. Volume 193, November 2016, Pages 51–57. http://dx.doi.org/10.1016/j.livsci.2016.09.011

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags