Leia este artigo em:

Aumento da mortalidade numa exploração do sudeste asiático

O caso apareceu subitamente quando, durante um período de 7 dias, os trabalhadores encontraram um grande número de porcos mortos ou a morrer na engorda.

4ª feira 13 Fevereiro 2013 (há 5 anos 5 meses 3 dias)

Descrição da exploração

Este caso clínico aconteceu numa grande exploração situada numa das áreas de alta densidade suína do sudeste asiático. As explorações estabeleceram-se há 20 anos em velhos pavilhões que foram adaptados e manipulados muitas vezes desde então. Os proprietários financiaram e organizaram a incorporação de vários sítios de acabamento de grande tamanho, localizados nos mesmos terrenos, cobrindo uns 20 hectares. Durante os últimos 20 anos, as explorações de reprodução encheram-se com 1.000 porcas de reposição, mediante envios entre 100 a 200 animais de várias empresas de genética americanas e europeias. As reprodutoras de substituição foram produzidas a partir dessas importações, mediante a execução de programas de multiplicação.

A alimentação realiza-se com ração comercial. Os porcos de engorda comercializam-se vivos localmente em mercados, a comerciantes e a pequenos matadouros.

Antes do aparecimento deste caso, as porcas e primíparas recebiam vacinas comerciais contra E. coli, parvovirus, mal rubro e leptospirose. Os leitões vacinavam-se várias vezes entre as 2 e as 8 semanas de idade contra Aujesky, Mycoplasma, encefalite japonesa e febre aftosa com vacinas comerciais.

Sítios de maternidade e engorda

A exploração encontra-se situada numa área com clima sub-tropical, com longos períodos de muito calor e humidade. A refrigeração baseia-se no uso de aspressores de água, ainda que alguns dos edifícios mais velhos tenham má ventilação, devido à falta de ventiladores adequados. Na zona apareceram problemas por melioidose (causada por Burkholderia pseudomallei) pelo que o desenho das construcções limita o acesso dos porcos às áreas exteriores e dos roedores e pássaros às interiores (ver figura 1).

Naves de engorde típicas del sureste asiático, con protección contra roedores y pájaros.

Figura 1. Pavilhões de engorda típicas do sudeste asiático, com protecção contra roedores e pássaros.

Tanto as ninhadas de porcas como as das primíparas são desmamadas aos 21 dias, momento em que são passadas para os pavilhões de baterias adjacentes. Por volta das 10 semanas de idade, transferem-se para os pavilhões de engorda, que estão afastados uns 2 km.

Aparecimento do caso

A equipa de tratadores das baterias tinha detectado vários problemas graves, compatíveis com PRRS (tanto estirpes americanas como europeias) e influenza suína (ver figura 2). Como em muitas outras explorações do sudeste asiático com estas doenças, a mortalidade nas baterias estava entre 8 - 20 %. Os valores de mortalidade na engorda eram menores (1 a 3 %).

Se detectaron casos de PRRS e influenza porcina en cerdos de 6 semanas.

Figura 2. Detectaram-se casos de PRRS e influenza suína em porcos de 6 semanas.

Había muchos cerdos muertos y moribundos en las naves de cebo afectadas.

Figure 3. Havia muitos porcos mortos e moribundos nos pavilhões de engorda afectados.

A exploração tem uma grande equipa formada por homens e mulheres locais. Também há uma pequeno equipa de especialistas técnicos e veterinários, com alguns consultores externos. Realizou-se uma visita a pé e em veículo às instalações, inspeccionando os sistemas de controlo da temperatura, o saneamento, a ventilação e os dados registados para estabelecer os níveis de mortalidade de cada secção.

O caso apareceu subitamente quando, durante um período de 7 dias, os trabalhadores encontraram um grande número de porcos mortos ou a morrer na engorda. A equipa de peritos foi visitar os parques afectados. A equipa confirmou clinicamente a presença de diarreia amarela no solo dos parques e também se detectou a presença de tosse, ainda que esta última existisse de um modo pouco consistente. Muitos dos porcos que sobreviviam estavam deprimidos e apáticos, caminhavam sem rumo e de modo atáxico e tinham deixado de comer. Muitos tinham conjuntivite, entre moderada e grave, com congestão e secreção aquosa intensa. Nalguns porcos, a descarga tinha produzido linhas escuras à volta dos olhos, e tinham as pálpebras coladas. Estes animais apresentavam uma temperatura de 41ºC. Os mortos e moribundos apresentavam ter uma congestão escura nas orelhas e focinho, indicativa de cianose e hiperémia nas referidas zonas. As unhas eram normais.

Os dados indicaram um aumento brusco da mortalidade de 40 % nalguns pavilhões de engorda durante 1 - 2 semanas. O aspecto real era o da figura 3.

A equipa levou a cabo necropsias em vários dos porcos afectados. Teve-se a precaução de as realizar tanto em casos novos como nos casos sub-agudos que estavam doentes há mais de uma semana. Em ambos grupos detectaram-se muitas lesões. As principais lesões recorrentes foram hemorragias moderadas nos gânglios linfáticos faríngeos, epiglote e bexiga (ver figuras 4 e 5). O baço costumava apresentar hematomas. Os pulmões tinham um pouco de edema mas eram normais.

Necropsia de un cerdo de engorde afectado, nótense las hemorragias en los ganglios faríngeos y la vejiga.

Figuras 4 e 5. Necropsia de um porco de engorda afectado, notam-se as hemorragias nos gânglios faríngeos e a bexiga.

A equipa também recolheu amostras de sangue dos porcos doentes em tubos com EDTA e enviou-os para hematologia de rotina. A contagem normal de leucócitos em porcos é 18,0 x 109 por litro (intervalo de 10,0 – 23,0). Os porcos afectados neste surto tinham uma média de 8,5 x 109 por litro.

Nos animais que tinham estado doentes durante uma semana antes da necropsia, o exame das costelas revelou um engrossamento distintivo e uma calcificação necrótica nas linhas epifisárias, entre 50 - 75 % dos casos, ver figura 6.

Lesiones en las costillas en los casos subagudos.

Figura 6. Lesões nas costelas nos casos sub-agudos.

Diagnóstico diferencial para os surtos de alta mortalidade na Ásia

Os surtos com mortalidade elevada em grupos de porcos podem ser causados por vários agentes infecciosos. Este caso clínico não parecia ser consistente com um problema nutricional ou físico como uma falha de fornecimento eléctrico. Os traços pulmonares não são consistentes com um diagnóstico de APP por Actinobacillus pleuropneumoniae. Outras possíveis causas que poderiam justificar esta mortalidade incluem PRRS de elevada patogenicidade e circovirus, com infecções secundárias, ou outros agentes como PSA (Peste Suína Africana) ou Salmonella cholerae-suis ou PPC por pestivirus.

Análise de resultados

Os sinais clínicos, a autopsia e a hematologia sugerem que a presença de uma estirpe patogénica de PSC (Peste Suína Clássica) tinha colonizado a fase de engorda nas semanas prévias ao surto de mortalidade. Ainda que a PSC se descreva com frequência como uma “grande imitadora” com muitos sinais inespecíficos, a leucopenia e as lesões das costelas são muito indicativas. Os sinais de cianose e hemorragias e as lesões dos gânglios linfáticos e baço são sugestivas, ainda que não específicas. As hemorragias na bexiga e rim são muito sugestivas de PSC. A análise confirmou-se mediante um ELISA, comparando soro recolhido antes dos surtos com o dos porcos afectados.

Investigações posteriores e medidas tomadas

Averiguou-se que um trabalhador tinha alguns porcos locais em sua casa e, que sem dar conta, tinha metido o vírus na exploração através da roupa ou das botas.

Administraram-se antibióticos na água e ração aos porcos de engorda, para tentar reduzir a mortalidade e as perdas produtivas.

Implementou-se o uso de distintas vacinas contra PSC de laboratórios internacionais, incluindo a da estirpe C viva atenuada e a da subunidade E2. Considerou-se que com o uso continuado da vacina com a estirpe viva atenuada se conseguia uma melhor eficácia na protecção e na redução do número de casos.

Nalguns casos, a protecção completa contra PSC em zonas endémicas e de alto risco na Ásia, inclusive com estes programas de vacinação, é difícil devido a uma exposição precoce e à interferência com os anticorpos maternais. Por isto, com frequência torna-se necessário estabelecer distintos momentos de aplicação por alturas do desmame e durante a primeira fase de crescimento.

Casos Clínicos

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags