Inesperada manutenção da cotação em época de forte subida. Que se passa no mercado?

carcaças
carcaças

A Bolsa do Porco manteve a sua cotação, tal como aconteceu em quase toda a Europa.

2 de Julho de 2018

Após a subida da primeira quinzena de Junho, esperava-se que o mercado português continuasse na senda da subida na segunda metade do mês, até porque é habitual que ocorra este comportamento no mercado. Contudo, não foi isto que se verificou. Na realidade, a Bolsa do Porco manteve a sua cotação, tal como aconteceu em quase toda a Europa.

Não tem feito o calor habitual para esta época do ano, no Sul da Europa, e os porcos não travaram o crescimento. Assim, a oferta mantém-se elevada e daí, com a estagnação das vendas para Países Terceiros, há oferta suficiente de carne para as necessidades do mercado interno e daí a manutenção das cotações.

Por outro lado, e ao contrário do que é usual, tem feito bastante calor nos Países do centro e Norte da Europa (Alemanha, Bélgica, Holanda) o que tem feito reduzir os crescimentos dos porcos. Em todo o caso, e como durante o mês de Junho já é altura de haver saída da população destes países para passar férias fora, reduz-se o número de consumidores e os abates não permitem grandes descidas de peso. Nestes países e actualmente os pesos encontram-se ao nível dos pesos do ano passado.

Há que também ter em conta um outro aspecto, principalmente no que diz respeito ao mercado espanhol. Como as cotações não subiram o que se estava à espera, e como as matérias-primas permitem que o preço da ração seja relativamente baixo, os produtores estão a fazer “render o peixe”, que é como quem diz, procuram tirar rendimento dos seus porcos vendendo-os mais pesados já que aumentam o valor por porco vendido. É uma outra forma de ver a questão, sem dúvida!

As vendas para os mercados terceiros andam devagar e de forma atribulada. A China compra menos à U.E. e a carne é enviada para outros países do Sudeste Asiático que tem forte concorrência dos Estados Unidos. O México compra menos aos Estados Unidos e poderá ser um mercado interessante para a U.E.. Enquanto não se definirem melhor estas compras e por parte de que países a que países, os mercados continuarão a não ter grande estabilidade.

Em Portugal, tal como referi acima, houve manutenção da cotação e os pesos vão descendo gradualmente fruto de uma menor oferta sazonal de porcos para abate. Todavia, com as cotações abaixo das do ano passado para esta altura do ano apesar de terem tendência de subida, a carne continua a vender-se a preços muito baixos.

Em toda a Europa, e não apenas em Portugal, as cotações actuais e as cotações médias do 1º semestre do ano estão bastante abaixo das do ano passado. No que diz respeito às cotações médias dos primeiros 6 meses de 2018, elas foram 1,357€ na Holanda (-19,2% que em 2017, que foi de 1,679€), 1,192€ na Dinamarca (-17,3% que em 2018, que foi de 1,442€), 1,428€ na Alemanha (-15,26% que em 2017, que foi 1,686€), em Espanha foi de 1,129 (-12,32% que em 2017, que foi de 1,288€) e em França foi 1,182 (-18,09% que em 2017, que foi de 1,443€).

Em Espanha, a cotação subiu ligeiramente 0,008€/kg PV (+0,01€/kg carcaça) na primeira metade de Junho, ficando a cotação em 1,22€/kg PV (1,626€/kg carcaça). Os pesos voltaram a descer, novamente, 1500g em peso vivo em 2 semanas.

A Alemanha baixou a sua cotação 0,03€/kg carcaça para se fixar nos 1,44€/kg. A oferta de porcos para abate é baixa mas a carne vende-.se mal e a baixo preço, o que não permite que a cotação dos porcos suba. Os matadouros queixam-se de que a procura de carne continua a ser fraca. Os pesos desceram 400g nesta quinzena passando para os 95,8kg carcaça.

A Holanda manteve a sua cotação em 1,45€/kg. A oferta de porcos na Holanda continua a ser relativamente fraca e isto costuma ser sinal de subida na cotação. Todavia, os matadouros holandeses estão a preferir abater menos, e inclusive pensam em parar os abates um dia por semana, do que pedir porcos para abate e ter de pagar mais por eles.

A Bélgica baixou0,02€/kg PV, ficando a cotação em 0,97€/kg PV.

Na Dinamarca a cotação baixou 0,05€/kg carcaça, passando o preço a ser 1,14€/kg carcaça. Os dinamarqueses referem que os preços são anormalmente baixos em toda a Europa nesta altura do ano devido à forte oferta de carne de porco a nível mundial. A juntar a isto, um euro forte complica muito as exportações da Dinamarca para mercados chave como são o Japão, a China e o Reino Unido.

Em França o preço subiu 0,014€/kg carcaça fixando-se a cotação em 1,216€/kg carcaça. Os pesos desceram 1,13kg para os 94kg carcaça. As vendas estão a bom ritmo influenciadas, principalmente, pelo aumento do consumo por parte dos turistas, que começam a chegar em grandes quantidades a França nesta altura do ano.

O mercado continua menos dinâmico do que o esperado e isso tem-se reflectido na subida “curta” das cotações (para não falar nalgumas descidas bem negativas para todo o mercado Europeu). Com a entrada no mês de Julho é expectável que as cotações possam subir com mais significado mas, com a instabilidade no mercado mundial, veremos se o mercado terá o comportamento esperado que permita a subida das cotações de forma significativa.

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags