Manutenção da cotação dos porcos mostra dificuldades do mercado no verão

matadouro
matadouro

A cotação manteve-se na segunda quinzena de Julho em Portugal.

2 de Agosto de 2018

Sem que haja mexidas na cotação da Bolsa do Porco, o verão vai passando sem se dar por ele. A cotação manteve-se na segunda quinzena de Julho em Portugal.

O que é de assinalar é que os produtores portugueses estão a vender os seus porcos abaixo de 1,60€/kg carcaça e que os pesos dos seus porcos têm vindo a descer com algum significado nestas últimas semanas. Há menos porcos e menos pesados mas não é por isso que a cotação sobe. E um dos motivos pela qual não sobe é a fraca procura de carne de porco por parte dos consumidores portugueses (e estrageiros que veraneiam no nosso país).

Tudo isto se passa sem que ainda tenha chegado o calor, que se prevê que comece agora. Veremos que implicações trará no crescimento dos porcos e, consequentemente, na oferta destes para abate.

Em toda a Europa a situação é idêntica à portuguesa e idêntica à das semanas anteriores. Há menor oferta de porcos para abate já que, devido ao calor, os porcos não crescem (não esquecer que o Norte da Europa tem tido elevadas temperaturas que são mais habituais no Sul) e o mercado da carne está parado já que há pouca procura tanto dentro da U.E. como para exportação.

Embora haja menos porcos, a menor procura de carne está a ter mais influência no preço do porco já que os matadouros conseguem pressionar para que hajam descidas no preço a que compram os porcos e estas descidas trazem grande tensão a todo o mercado do porco europeu.

As vendas ao exterior, principalmente à China, e segundo os dados da U.E., são boas, mas 3% inferiores entre Janeiro e Maio de 2018, quando compradas ao mesmo período de 2017. Uma redução deste nível não parece ser suficiente para afectar muito o mercado, mas a verdade é que tem trazido dificuldades.

A China compra, principalmente, vísceras e miudezas, o que implica que estes produtos sejam bem valorizadas e permite ter margem para poder ter preço mais competitivo nas restantes peças ou carcaças, leia-se preço mais baixo para poder competir com o Brasil e os Estados Unidos nos restantes mercados mundiais. Portanto, dificuldades com a China são mais dificuldades noutros mercados de Países Terceiros.

Segundo os mesmos dados da DG AGRI, as exportações da U.E. nos primeiros 5 meses deste ano são 0,2% superiores às do mesmo período de 2017.

Então, porque será que o preço dos porcos está mais baixo do que há 1 ano atrás? Porque há mais oferta de porcos para abate e o consumo de carne não aumentou proporcionalmente. Por esse motivo temos tido os porcos sempre mais pesados em 2018 do que em 2017 e cerca de 2-3kg mais pesados, o que é significativo. Este peso a mais, mesmo que o número de porco fosse o mesmo que em 2017, representaria, só por si, mais carne colocado no mercado. Como, para além disso, há mais porcos para abate, a oferta de carne ainda é superior.

Estes são os aspectos principais pelos quais a cotação dos porcos não sobe em Portugal e nos restantes países Europeus. E não só não sobe como até desce nalguns deles.

Em Espanha, a cotação manteve-se na segunda metade de Julho, ficando a cotação em 1,246€/kg PV (1,661€/kg carcaça). Os pesos continuaram a descer pela 15ª semana consecutiva, desta feita 710 g carcaça em 2 semanas. Apesar destas descidas, os porcos em Espanha, continuam a estar mais pesados 2kg que no ano passado.

A Alemanha baixou 0,05€/kg carcaça a sua cotação, estando em 1,39€/kg. A oferta de porcos para abate é baixa, mas a venda da carne é frouxa. O peso em carcaça voltou a manter-se nos 95,8kg. O consumo interno de carne é muito inferior ao normal.

A Holanda baixou 0,04€/kg carcaça a sua cotação, passando para 1,41€/kg. A oferta de porcos para abate, na Holanda, é fraco mas a sua procura também é reduzida. Tudo isto é normal que aconteça na Holanda no Verão. Em todo o caso, também há dificuldades na exportação de carne de porco, o que traz maior inércia ao mercado.

A Bélgica também baixou a sua cotação. A descida foi de 0,03€/kg PV e a cotação fixou-se em 0,94€/kg PV.

Na Dinamarca manteve a cotação em 1,11€/kg carcaça na segunda quinzena de julho. Não há grandes alterações no mercado do porco dinamarquês nas últimas semanas, daí a estabilidade no mercado.

Em França o preço subiu 0,004€/kg carcaça fixando-se a cotação em 1,223€/kg carcaça. Os pesos desceram 380g para os 93,07kg carcaça. Há uma redução forte na disponibilidade de porcos para abate, mas a necessidade dos matadouros também é escassa, por isso o mercado continua equilibrado e sem grandes oscilações na cotação.

Entrámos no mês de Agosto que, tradicionalmente, é um mês de grandes consumos de carne de porco em Portugal. Muito sinceramente, e da forma como se encontra o mercado do porco não creio que este facto possa estimular uma subida das cotações em Portugal, mas veremos.

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags