Leia este artigo em:

Avaliação do bem-estar - presente e futuro da visão Welfare Quality®

O protocolo é uma ferramenta de diagnóstico muito útil para ter uma visão global de uma exploração num determinado momento.

Os protocolos Welfare Quality® (WQ) são uma ferramenta para avaliar o bem-estar animal de maneira objectiva e standartizada com parâmetros válidos, repetíveis e práticos. Pode considerar-se como um método de referância para a avaliação global do bem-estar animal a nível das explorações e matadouros utilizando parâmetros baseados no animal. Os protocolos WQ baseiam-se em 12 critérios de bem-estar animal reagrupados em 4 princípios fundamentais (alimentação, alojamento, saúde e comportamento adequado). No caso dos suínos desenvolveram-se três protocolos: o primeiro para porcas e leitões, o segundo para porcos de engorda e o último para porcos no matadouro.

O protocolo WQ para porcos de engorda foi experimentado num amplo espectro de explorações intensivas e extensivas. Mediante a aplicação standartizada do sistema de avaliação do bem-estar obtiveram-se uma série de prevalências comparáveis entre sistemas de criação. A título de exemplo, podemos dar um resumo da comparação de prevalências obtidas no sistema de produção convencional de porcos brancos sobre grelha (em Espanha e França) e o sistema sobre palha (em França) (Tabela 1). Segundo os resultados obtidos, os porcos alojados sobre palha têm menos bursites (inflamações ao nível das articulações) e apresentam uma frequência menos elevada de agressões e mais condutas exploratórias. Por outro lado, os animais apresentam mais problemas de higiene (fezes sobre o corpo) e condição corporal que no sistema convencional. Estas comparações podem ser feitas entre sistemas, países, regiões ou inclusive a nível de uma população de explorações se assim for interesante. Mais em concreto, para o sistema de produção intensivo de porcos brancos sobre grelha, estabeleceram-se limiares de risco comparando explorações espanholas entre si, o que nos permite identificar as explorações mais problemáticas desde o ponto de vista do bem-estar dos seus animais. Assim, por exemplo, podem-se detectar cinco explorações mais problemáticas em relação à prevalência de porcos com feridas no corpo (Figura 1).

Tabela 1. Resumo das prevalências médias e erros standart obtidos mediante a aplicação do protocolo Welfare Quality® em explorações de porcos brancos sobre grelha e sobre palha.

Princípios de
bem-estar
Medidas baseadas no animal Intensivo grelha Intensivo palha
Boa
alimentação
Condição corporal 0,4 ± 0,14b 0,9 ± 0,31a
Bursites moderadas 43,5 ± 1,01a 3,8 ± 0,62b
Bursites severas 7,8 ± 0,53a 0.2 ± 0.13b
Fezes em 25% - 50% do corpo 23,5 ± 1,06b 30,8 ± 2,62a
Fezes em > 50% do corpo 5,3 ± 0,60b 15,6 ± 2,65a
Animais apinhados 3,5 ± 0,60 1,9 ± 0,84
Animais tremendo 0,0 ± 0,00 0,1 ± 0,11
Animais arfando 0,2 ± 0,07 0,7 ± 0,27
Boa saúde Feridas graves no corpo 2,5 ± 0,35 1,4 ± 0,40
Caudofagia 1,1 ± 0,27 1,4 ± 1,26
Coxeiras 1,2 ± 0,17 2,3 ± 0,31
Descoloração/Inflamação da pele em < 10% do corpo 1,6 ± 0,17 0,5± 0,19
Descoloração/Inflamação da pele em > 10% do corpo 2,1 ± 0,28 0,1± 0,10
Diarreia (a nível do grupo) 9,0 ± 0,2 15,9 ± 0,4
Dificuldade respiratória 0,2 ± 0,06 0,2 ± 0,13
Prolapso rectal 0,0 ± 0,00 0,0 ± 0,00
Hérnia 0,1 ± 0,04 0,2 ± 0,13
Comportamento adequado Agressões 4,5 ± 0,28a 2,9 ± 0,53a
Comportamento exploratório 35,0 ± 1,07b 39,3 ± 1,95a
Resposta de pânico na presença do observador 24,4 ± 2,00b 37,8 ± 2,00a

Figura 1. Prevalências (e desvio padrão) de porcos com feridas graves para cada exploração avaliada. Os limiares de risco estabelecidos são apresentados a cor de laranja.

Prevalencia (y desviación estándar) de cerdos con heridas graves para cada granja evaluada. Los umbrales de riesgo establecidos se muestran de color naranja.

O protocolo é uma ferramenta de diagnóstico muito útil para ter uma visão global de uma exploração num determinado momento. Uma vez identificados os pontos críticos de cada exploração, podem-se estabelecer estratégias de tratamento e prevenção. Assim, o protocolo pode utilizar-se, de modo continuo ao longo do tempo para monitorizar o progresso do estado de uma exploração e avaliar o impacto de uma medida de tratamento (ou prevenção). Tendo como base o protocolo WQ pretende-se, no futuro, desenvolver protocolos de monitorização do bem-estar adaptados às necessidades de cada empresa ou de cada suinicultor.

Além do seu uso num programa de intervenção e monitorização, o protocolo WQ está a ser amplamente utilizado em investigações aplicadas em condições comerciais. Segundo o objectivo que tenha o estudo, o protocolo aplica-se no seu todo ou utilizam-se apenas algumas das suas medidas. Assim pois, mede-se através de indicadores baseados no animal, o efeito de um alojamento novo ou de uma alteração no maneio, por exemplo. O uso de medidas standartizadas permite-nos desenvolver estudos de factores de risco que se podem comparar facilmente com os resultados obtidos noutros países.

Assim por exemplo num estudo levado a cabo em diferentes sistemas de produção, associou-se a incidência de mordeduras de cauda com os sistemas intensivos de produção. Se bem que os animais criados em extensivo não tinham a cauda cortada, não se detectou nenhum caso de mordedura de cauda nesses animais. A prevalência de mordedura de cauda nos 3 sistemas de produção intensivos estudados era significativamente similar: intensivo convencional (1,1%); sobre palha (1,4%); Ibérico intensivo (0,2%). No sistema intensivo convencional detectaram-se vários factores de risco possívels: os porcos alimentados com alimentação líquida restringida (no tempo) apresentavam um risco maior de mordedura de cauda (Odd Ratio 5 IC 1,3-10) comparado com os porcos alimentados com tolvas holandesas. A temperatura ambiental também se detectou como sendo um possível factor causador. As temperaturas mais baixas (15-20ºC) associaram-se a uma maior incidência de mordedura de cauda, devido possivelmente a uma maior actividade dos animais. Finalmente, o risco de mordedura de cauda aumenta significativamente em porcos a meados da engorda (OR 5 IC 1,4-17) comparado com o início e o final da engorda.

Em vários países Europeus observa-se um interesse crescente de particulares nos esquemas de certificação. Os esquemas de certificação estão focados em novos nichos de mercados indo mais para lá das obrigações estabelecidas pela legislação vigente. No caso do bem-estar animal, estes esquemas dão um valor acrescentado a um standart de bem-estar animal determinado. O protocolo WQ proporciona uma ferramenta standartizada, inequívoca, clara e detalhada que cumpre os requisitos para ser incluída num esquema de certificação.

Finalmente, é possível que num futuro próximo a legislação Europeia priorize as medidas baseadas na observação directa do animal sobre as medidas do ambiente. O protocolo WQ pode ser uma fonte de medidas válidas, repetíveis e de fácil aplicação pelas autoridades.

Artigos relacionados

Artigos

É bem aproveitado o espaço da nossa maternidade?05-Fev-2014 há 5 anos 8 meses 12 dias
Porco branco e ibérico: são assim tão diferentes?13-Jan-2014 há 5 anos 9 meses 4 dias

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags