A Páscoa trouxe estabilização da cotação dos porcos

carcaças
carcaças

Após forte subida da cotação dos porcos até meados de Abril, com a chegada da Semana Santa, houve um travão na subida e os preços estabilizaram.

3 de Maio de 2019

Após forte subida da cotação dos porcos até meados de Abril, com a chegada da Semana Santa, houve um travão na subida e os preços estabilizaram. O mercado precisa de absorver e digerir as subidas, de as aceitar e interiorizar e a chegada da Páscoa, contrariamente ao que costuma acontecer todos os anos nesta altura (fortes reduções do consumo de carne de porco devido à Quaresma costuma trazer grande instabilidade no mercado e a necessidade de descidas da s cotações), veio em boa altura. Em todo o caso, todos os mercados europeus do porco apresentaram subidas nas cotações que ocorreram no início da segunda quinzena de Abril, na semana imediatamente anterior à Semana Santa.

Veio em boa altura porque permitiu que, com a redução dos abates em toda a Europa devido aos feriados de 5ª e 6ª feiras Santas e de 2ª feira de Páscoa, os pesos dos porcos estabilizassem e até subissem um pouco. Por outro lado, deu para aferir qual o volume de oferta de porcos existente no mercado e se esta era mesmo menor, como tudo apontava, ou se a redução da oferta seria apenas fruto da retenção de porcos por parte dos produtores era mesmo real (os produtores em alturas em que o preço está a subir costumam reter porcos já que os porcos na semana seguinte valem mais dinheiro) e há menos oferta de porcos no mercado do que a procura. A redução da oferta é mesmo real!

Os próprios consumidores terão que começar a “aceitar” preços mais elevados da carne de porco e irão, seguramente, reajustar os seus padrões de consumo e de compra de carnes (é muito natural que comece a hacer alguma transferência de consumo da carne de porco para outras carnes, principalmente carne de aves), mas com a forte procura de carne de porco no mercado internacional e a sua escassez relativa face a essa mesma procura, alguma transferência de consumo não será muito preocupante (para já”).

Todavia, e com todo este clima positivo, continuamos a assistir à existência de promoções de carne de porco na grande distribuição. Na última semana de Abril havia uma promoção de carne de porco a 1,99€/kg. Sim, leu bem (e eu ouvi bem o anúncio na rádio) 1,99€/kg bifanas de porco. Eu pergunto: com os porcos a serem vendidos aproximadamente a 1,65-1,70€/kg carcaça, como é possível haver bifanas de porco a serem vendidas a 1,99€/kg? Como é possível que se façam outros anúncios publicitários que indicam que a carne de porco seria vendida com 50% de desconto face ao preço habitual? Isto é um grande mistério, ou talvez não.

Alheia a tudo isto segue a procura chinesa de carne de porco na U.E.. Com fortes reduções no seu efectivo reprodutor e de porcos para abate, a China terá que continuar a procurar carne de porco nos mercados internacionais, mais concretamente na Europa e no Brasil, visto que continuam a negociações com os EUA para retomar as exportações de produtos norte-americanos para a China e a sua carne de porco ainda não pode ser enviada para aquele país. Em todo o caso, o Brasil está a afastar-se da China e começa a enviar maiores quantidades de carne de porco para a Rússia, deixando caminho aberto aos países europeus para venderem cada vez mais quantidade de carne de porco à China o que deverá implicar mais subidas, nas próximas semanas, nas cotações dos porcos em toda a Europa.

Por outro lado, em Fevereiro e Março foram comprados leitões a preços bastante altos e continuam, em Abril e seguramente em Maio, a ser comprados leitões para engorda a preços muito elevados – leitões de 20kg entre 60,00€ e 75,00€ cada, portanto e forçosamente, as cotações dos porcos terão que subir. Em todo o caso, e apesar dos preços elevados dos leitões para engorda, as previsões no que se refere a custos de produção são de descida, com a anunciada descida dos preços das matérias-primas para a produção de ração.

Portanto, todos astros se conjugam e alinham para que o mercado do porco Europeu e Nacional tenha excelentes resultados em 2019.

Ainda no arranque da segunda quinzena de Abril, a cotação dos porcos na Bolsa do Porco em Portugal, subiu 0,05€/kg carcaça

Em Espanha a cotação também subiu 0,03€/kg PV (+0,04€/kg carcaça) passando a cotação para 1,36€/kg (1,813€/kg carcaça) no início da segunda quinzena de Março. Os pesos subiram 560g, de acordo com a informação de Mercolérida, fruto das reduções de abate devido aos feriados da Semana Santa.

Na Alemanha, a cotação também subiu 0,03€/kg carcaça passando para 1,73€/kg carcaça sem que tenha havido alteração no peso de carcaça, que continua em 96,5kg de carcaça. A venda de carne segue a bom ritmo após a Páscoa e devido ao aumento das temperaturas há maior procura de carne de porco para as tradicionais churrascadas ao ar livre. O comércio com a China estagnou um pouco nestas últimas semanas, mas não afectou o mercado alemão visto que a oferta de porcos é menor do que há 1 ano atrás e o mercado interno tem conseguido absorver a oferta.

Na Holanda a cotação subiu 0,14€/kg carcaça passando a cotação para 1,80€/kg carcaça. A perda de dias de abate devido aos feriados, levou a uma menor procura de porcos para abate, mas a oferta é reduzida e permitiu que o mercado aguentasse as subidas anteriores. Na Bélgica a cotação subiu 0,02€/kg PV para 1,20€/kg PV.

A Dinamarca subiu 0,07€/kg carcaça passando a cotação para 1,45€/kg carcaça, tendo sido o único país que subiu a cotação dos porcos após a Páscoa. Da subida de 0,07€ ocorrida na segunda quinzena de Abril, 0,03€/kg aconteceram na última semana do mês, já após a Páscoa. A Dinamarca tem vantagem em relação aos restantes países Europeus, no que diz respeito às possibilidades de exportação para a China e para o Japão: todos os seus matadouros estão homologados para poderem exportar para esses países, principalmente para a China. Para além disso, a sua maior empresa de abate de porcos – a Danish Crown – tem capacidade de abate e de stockagem de frio que mais nenhuma empresa europeia tem e isso dá-lhes a vantagem de poder responder rápida e eficazmente aos pedidos dos mercados asiáticos, podendo fornecer grandes quantidades de produto.

Em França a cotação subiu 0,005€ nesta quinzena para se situar em 1,415/kg carcaça. Os pesos subiram 100g para os 95,6Kg e estão 450g acima do peso da mesma semana de 2018. A cotação em 2018 era de 1,178€/kg carcaça e isto indica que a cotação está 20% acima da cotação do ano passado. O mercado francês começa a estar com maior fluidez e espera-se que as cotações possam subir ainda mais nas próximas semanas.

Após a Páscoa, o mais natural é que as cotações voltem a subir. Veremos até que patamar de preço.

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags