Leia este artigo em:

Uso de cacto na dieta de porcas em lactação

O objectivo do presente estudo foi avaliar o efeito da adição de figueira-da-índia (Opuntia ficus-indica) à dieta de porcas lactantes sobre o consumo voluntário de alimentos e seu desempenho produtivo após o desmame.

5ª feira 14 Fevereiro 2019 (há 1 meses 10 dias)
gosto

É sabido que o consumo de cacto (Opuntia spp.) por porcas em lactação regula os níveis de glicose no sangue durante a primeira semana após o parto e reduz os efeitos da hipofagia da lactação. Além disso, foi observado que a fibra dietética dos cactos pode aumentar o consumo de ração.

O objectivo do presente estudo foi avaliar o efeito da adição de figueira-da-índia (Opuntia ficus-indica) à dieta de porcas lactantes sobre o consumo voluntário de alimentos e seu desempenho produtivo após o desmame.

Para este propósito, foram seleccionadas e analisadas 37 porcas Yorkshire × Landrace × Pietrain durante dois ciclos completos. As porcas foram colocadas ao acaso em dois grupos: um grupo controlo (CON; n=18) alimentado apenas com ração comercial e um 0grupo experimental (EXP; n=19) alimentado com dieta CON suplementada com 1% de O. ficus-indica.

Foram avaliados os parâmetros glicose no sangue, consumo médio diário (IMD), consumo total de alimentos, perda de peso corporal, intervalo de desmame (IDE) e subsequente tamanho da ninhada.

No décimo dia de lactação, o grupo EXP apresentou níveis mais baixos de glucose no sangue que o grupo CON, tanto para medidas pré-prandiais quanto pós-prandiais. O padrão pré-prandial de glucose no sangue foi afectado pelo número de partos dentro do grupo CON. Observou-se que no primeiro e quarto parto das porcas foram apresentados os maiores níveis de glucose no sangue enquanto que, quando comparados os dois grupos, as porcas do grupo EXP apresentaram níveis mais baixos. A IMD e consumo total foram maiores nas porcas EXP, independentemente do número de partos e da época do ano. As porcas CON de terceiro parto e as porcas EXP de quarto parto tiveram a maior perda de peso corporal (13,8 e 6,9%, respectivamente). Além disso, no Verão, foi detectada uma perda de peso corporal maior, sendo de 12,7% para as porcas CON e de 8,2% para as porcas EXP. O grupo EXP também mostrou um IDE mais baixo (5,5 dias) e um tamanho da ninhada seguinte maior, até 1,8 leitões a mais que o grupo CON.

Em conclusão, a adição de O. ficus-indica na dieta das porcas em lactação parece contrabalançar os efeitos negativos da hipofagia da lactação devido à redução dos níveis de glucose no sangue durante a lactação, o que também provoca um aumento do consumo voluntário das porcas, dando como resultado uma menor perda de peso corporal, um menor intervalo desmame-cio e um maior tamanho da ninhada posterior.

Ordaz-Ochoa, G., Juarez-Caratachea, A., Pérez-Sánchez, R. E., Martínez-Flores, H. E., Esquivel-Cordova, J., and Ortiz-Rodríguez, R. Effect of lactating sows’ diet supplemented with cactus (Opuntia ficus-indica) on feed intake and reproductive and productive post-weaning performances. Tropical animal health and production (2018): 1-12.https://doi.org/10.1007/s11250-018-1611-x

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags