1 comentários

Leia este artigo em:

Comportamento e bem-estar de porcas e leitões em jaulas de parto ou currais de lactação

A fim de investigar as implicações de substituir as jaulas de parto por um sistema de alojamento alternativo a partir dos 3 dias após o parto até ao desmame, foram realizadas 3 experiências.

3ª feira 26 Dezembro 2017 (há 9 meses 27 dias)
1 gosto

O confinamento temporário durante o parto e o puerpério pode proporcionar um passo intermédio antes do alojamento das porcas em grupo.

A fim de investigar as implicações de substituir as jaulas de parto por um sistema de alojamento alternativo a partir dos 3 dias após o parto até ao desmame, foram realizadas 3 experiências.

Em cada experiência, as porcas pariam em jaulas e foram colocadas, aleatoriamente, no dia 3 de lactação na jaula de parto ou num curral com maior espaço (curral de lactação) até ao desmame. Na experiência 1, foram registados o crescimento do leitão e as lesões na pele das porcas e leitões, num total de 32 porcas e128 leitões destas ninhadas. Também foi registado o comportamento dos leitões lactantes em 24 destas ninhadas (96 leitões). Na experiência 2 foram registadas as lesões na pele e comportamento em 28 porcas e 112 leitões. Também foi avaliada a resposta de comportamento das porcas à vocalização dos leitões (prova de resposta materna (MRT)). Na experiência 3, foi registada a mortalidade dos leitões do dia 3 de lactação até ao desmame em 672 ninhadas durante 12 meses.

Se bem que o tipo de alojamento não tenha afectado o aumento de peso dos leitões na experiência 1, nem as lesões cutâneas dos leitões nas experiências 1 ou 2, as porcas de ambas as experiências mostraram mais lesões quando estavam alojadas nos currais de lactação em comparação com as jaulas de parto (experiência 1, 2,9 vs 1,4; experiência 2, 2,5 vs. 0,8 lesões por porca). As interacções porca-leitão foram mais frequentes nos currais de lactação que nas jaulas de parto nos dias 11 e 18 pós-parto na experiência 1 (dia 11, 1,4% vs. 1,2%, dia 18, 1,7% vs. 1,0% das observações) e experiência 2 (dia 11, 1,0% vs. 0,3% e dia 18 1,0% vs. 0,6% das observações) e as porcas em currais de lactação mostraram-se mais receptivas à MRT na experiência 2 (2 vs. 0 mediana do número de testes dos quais as porcas reagiram). Na experiência 1 os leitões brincaram mais (0,7% vs. 0,3% das observações) e manipularam menos (0,3% vs. 0,7% das observações) nos currais de lactação, mas mais leitões passaram em branco os periodos de lactação (0,2 vs. 0,1 leitões/periodo) comparado com as jaulas de parto. Não houve nenhum efeito do alojamento sobre a mortalidade dos leitões a partir do dia 3 de lactação até ao desmame na experiência 3 (0,63 e 0,64 mortes/ninhada para curral de lactação e jaula de partos, respectivamente).

O alojamento de porcas e ninhadas em currais de lactação a partir do dia 3 de lactação reduz ao mínimo a mortalidade dos leitões e melhora o comportamento materno nas porcas e o comportamento social nos leitões.

C. Singh, M. Verdon, G. M. Cronin and P. H. Hemsworth. The behaviour and welfare of sows and piglets in farrowing crates or lactation pens. Animal. Volume 11, Issue 7. July 2017 , pp. 1210-1221. https://doi.org/10.1017/S1751731116002573

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
14-Fev-2018sossuinos1sossuinos1quero traduzir outros artigos, para PORTUGUES, e não consigo. porque
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags