Leia este artigo em:

Aumento dos níveis de lisina nas dietas de porcas em lactação: efeito no rendimento da porca e sua ninhada

Foi recentemente relatada uma diminuição na perda de peso corporal sem afectar o rendimento da ninhada quando o nível de lisina na dieta de porcas em lactação aumenta de 0,67 a 1,00%

5ª feira 8 Março 2018 (há 7 meses 15 dias)
gosto

A maior eficiência e produtividade das porcas devido ao melhoramento genético pode afectar os níveis necessários de nutrientes na lactação que permitam alcançar o rendimento óptimo. Durante a lactação os nutrientes devem ser fornecidos de forma a sustentar, não só a manutenção da porca, como o crescimento dos leitões. Com uma produção de leite que representa aproximadamente 75% das necessidades totais de nutrientes na lactação, torna-se cada vez mais importante cumprir com as necessidades da porca através da formulação da dieta, à medida que aumenta o tamanho da ninhada. Foi recentemente relatada uma diminuição na perda de peso corporal sem afectar o rendimento da ninhada quando o nível de lisina na dieta de porcas em lactação aumenta de 0,67 a 1,00%, mas com resultados diferentes segundo os critérios de resposta. Com uma genética moderna com maiores níveis de produtividade, deve ser avaliado de novo o cumprimento dos requisitos para reduzir a mobilização das reservas corporais de proteínas e maximizar o crescimento da ninhada, mantendo a função reprodutiva em porcas multíparas de alta produção. Portanto, foram usadas 710 porcas (diferentes paridades) num estudo de 21 dias para determinar o efeito do consumo de lisina (Lys) digestível ileal standartizada (DIS) durante a lactação no rendimento da porca e ninhada e no rendimento reprodutivo posterior de porcas primíparas e multíparas alojadas num sistema de produção comercial. No dia 112 de gestação, as porcas foram pesadas e bloqueadas por peso corporal (PC) dentro da data prevista de parto e paridade (1 a 7) e aleatoriamente distribuídas por 1 de 4 tratamentos dietéticos dentro dos blocos. Os tratamentos dietéticos basearam-se em dietas a base de milho - bagaço de soja e diferentes níveis de DIS Lys (0,75, 0,90, 1,05 ou 1,20%). Os tratamentos experimentais foram formulados aumentando tanto a Lys cristalina como o bagaço de soja para manter uma proporção de Lys cristalina e bagaço de soja semelhantes. Foram adicionados outros aminoácidos de qualidade alimentar (AA) segundo a necessidade de manter uma relação semelhante à Lys em todos os tratamentos. Todos os outros nutrientes cumpriram ou excederam as estimativas ou os requisitos da NRC. A energia metabolizável na dieta foi corrigida em todos os tratamentos dietéticos.

O PC das porcas aumentou ao desmame enquanto que a perda de peso entre parto e desmame ou entre o dia 112 de gestação e o desmame diminuiu à medida que a DIS Lys aumentou. A perda de gordura dorsal das porcas aumentou à medida que a DIS Lys aumentou. Por outro lado, a perda de profundidade do músculo longissimus diminuiu à medida que a DIS Lys aumentava. A percentagem de porcas cobertas no dia 7 após o desmame aumentou à medida que a DIS Lys aumentou em porcas primíparas, sem diferença em porcas multíparas. O peso da ninhada no dia 17 e o ganho de peso da ninhada entre os dias 2 a 17 aumentaram à medida que a DIS Lys aumentou até 1,05%, sem nenhuma melhoria posterior. Para as ninhadas posteriores não foram observadas diferenças no número total de nascidos, percentagem de nascidos vivos, nascidos mortos ou mumificados.

Os resultados deste estudo sugerem que o aumento da DIS Lys na dieta pode reduzir a perda de proteína da porca durante a lactação e a mobilização tissular em geral. No entanto, o nível óptimo de DIS Lys na dieta necessário para a porca em lactação pode variar segundo os critérios de resposta e a paridade.

Gourley, K. M.; Woodworth, J. C.; DeRouchey, J. M.; Tokach, M. D.; Dritz, S. S.; Goodband, R. D.; Kitt, S. J.; and Stephenson, E. W. (2017). Effects of increasing dietary lysine on performance of lactating sows in commercial conditions. Kansas Agricultural Experiment Station Research Reports: Vol. 3: Iss. 7. https://doi.org/10.4148/2378-5977.7457

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags