Leia este artigo em:

PSA: a OIE lança uma iniciativa mundial para controlar a doença

O objectivo é controlar a doença, reforçar a prevenção e a preparação dos países, bem como minimizar os efeitos nefastos sobre a sanidade animal, o seu bem-estar e o comércio internacional.

6ª feira 31 Maio 2019 (há 4 meses 16 dias)
1 gosto

Tida em conta a gravidade da situação perante a ausência de uma vacina contra a doença e a pedido dos seus Países Membros que a mandataram, a OIE lança uma iniciativa mundial para o controlo da PSA utilizando o mecanismo do GF-TADs (âmbito mundial para o controlo das doenças animais transfronteriças) com vista a desenvolver, melhorar e harmonizar as associações e a coordenação a nível nacional, regional e mundial. O objectivo é controlar a doença, reforçar a prevenção e a preparação dos países, bem como minimizar os efeitos nefastos na sanidade animal, no seu bem-estar e no comércio internacional.

Iniciado em 2004 pela OIE e pela FAO, o GF-TADs procura prevenir, detectar e controlar as doenças animais transfronteiriças e ter em conta, sobretudo, as suas dimensões regionais. Desta maneira, já se formaram grupos regionais de peritos sobre a PSA sob os auspícios desta plataforma na Europa em 2014 e, em 2019, está a suceder o mesmo na Ásia e nas Américas.

Nos próximos meses, a OIE estabelecerá um programa de trabalho em colaboração com a FAO, tendo em consideração as iniciativas regionais já existentes.

Em complemento do foco harmonizado entre os países, é essencial a transparência quanto ao aparecimento e evolução dos focos para uma compreensão da epidemiologia da doença orientada para o seu controlo e prevenção. A OIE recordou, aos seus Países Membros, a importância de notificar a presença da doença para atingir um conhecimento completo da sua evolução através do Sistema Mundial de Informação Sanitária, WAHIS. Entre 26 de Abril e 9 de Maio de 2019, 1322 focos estavam em curso e tinham sido assinalados 157 novas notificações à OIE através desta plataforma.

À luz das repercussões sócio-económicas mundiais desta doença, o controlo da PSA reveste-se de uma elevada prioridade mundial, tanto para os países afectados como para os livres da doença. Com esta perspectiva, a OIE instiga os seus Membros para a implementação das suas normas e práticas adequadas para controlar eficazmente a PSA, em especial através de:

  • programas de prevenção, detecção precoce, intervenção e políticas compensatórias,
  • medidas de biossegurança,
  • traçabilidade dos suínos e controlo das suas movimentações,
  • controlos oficiais eficazes,
  • gestão das populações de suínos silvestres,
  • abate de animais de acordo com as regras de bem-estar animal e eliminação sem perigo dos seus produtos contaminados,
  • melhoria da colaboração entre as partes interessadas e entre países,
  • programas de formação contínua e de sensibilização.

Devido à sua epidemiologia complexa, o controlo da PSA não se pode enfrentar sem uma resposta coordenada dos diferentes sectores implicados. Trata-se, em particular, das autoridades aduaneiras e de controlo fronteiriço,da produção suína, das universidades, dos organismos de gestão florestal, das associações de caçadores, das entidades de turismo e de transporte de animais, para além dos serviços veterinários. A instauração de uma comunicação clara e transparente é essencial para que todos os actores compreendam as tarefas e responsabilidades de que estão incumbidos no momento de aplicar as medidas requeridas.Para tal fim e com a vontade de respaldar os Países Miembros, a OIE arrancou no início de 2019, com uma campanha de sensibilização mundial – A PSA mata os porcos – que inclui múltiplas ferramentas específicas.

Para responder aos desafios mundiais complexos que representa a doença, nos países afectados e indemnes, é necessária a atenção e a acção de todos. Se bem que a PSA seja uma doença sem risco para o Homem, continua a ser devastadora para a economia das produções suínas e das trocas comerciais, com repercussões nos meios de subsistência dos agricultores e na segurança alimentar. Por conseguinte, o seu controlo mundial contribuirá para se atingir os Objectivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), em particular, o Objectivo 1 (fim da pobreza) e 2 (fome zero).

Terça-Feira, 28 de Maio de 2019/ OIE.
http://www.oie.int

Artigos relacionados

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags

Última hora

Um boletim periódico de notícias sobre o mundo suinícola

Não estás inscrito na lista

11-Out-201904-Out-201927-Set-201920-Set-2019

faz login e inscreve-te na lista

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui