Leia este artigo em:

Argentina proíbe o uso de colistina nas rações

Resultados obtidos pelo Senasa apresentaram níveis significativos de resistência à colistina.

6ª feira 8 Fevereiro 2019 (há 6 meses 16 dias)
gosto

Segundo publica o Ministério espanhol da Agricultura no seu boletim de Notícias do Exterior, o Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Agro-Alimentar (Senasa) da Argentina, através da Resolução 1119/2018, proibiu o uso de alimentos para animais medicados que possam conter produtos veterinários das famílias dos benzimidazóis, imidazotiazóis, tetrahidropirimidinas, cestodicidas e/ou trematocidas a partir do ano 2022.
Os alimentos para animais que contenham estes princípios activos manterão a sua inscrição no registo até 1 de Janeiro de 2022 e será dada "baixa" a partir do dia 2 desse mesmo mês.

Os pedidos de registo de alimentos para animais que os contenham serão aceites apenas até ao dia 1 de Julho de 2020.

A Resolução clarifica que ficam fora do seu âmbito de aplicação os alimentos para animais que contenham na sua formulação monensina, monensina sódica, narasina, salinomicina, semduramicina, maduramicina, lasalocid, robenidina, nicarbazina e/ou decoquinato pelo que não possuem nenhuma restrição.

Por outro lado, a Resolução 22/2019, proibiu a produção, distribuição, importação, uso e detenção, em todo o país, de produtos veterinários que contenham, na sua formulação, o princípio activo colistina e os seus sais. A proibição entrará em vigor 180 dias após a sua publicação (no passado dia 16 de Janeiro).

A colistina foi classificada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como medicamento de “reserva”, devido à sua importância na saúde humana como ferramenta terapêutica eficaz no tratamento de infecções provocadas por bactérias multi-resistentes em humanos.

Para além disso, os resultados obtidos pelo Programa Nacional de Vigilância da Resistência aos Antimicrobianos em animais destinados ao consumo humano do Senasa, apresentaram níveis significativos de resistência à colistina, pelo que se torna necessário não a administrar, nem nenhum dos seus sais, aos animais com a finalidade de preservar a sua eficácia nas pessoas.

Quinta-Feira, 24 de Janeiro de 2019/ MAPA/ Espanha.
https://www.mapa.gob.es

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags

Última hora

Um boletim periódico de notícias sobre o mundo suinícola

Não estás inscrito na lista

02-Ago-201926-Jul-201919-Jul-201912-Jul-2019

faz login e inscreve-te na lista

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui