Carência de vitamina E e selénio

Os problemas locomotores podem ter diversos tipos de causas. Neste caso era déficit de Vitamina E e de Selénio.

2ª feira 2 Abril 2007 (há 11 anos 2 meses 17 dias)

Descrição da Exploração

O caso apresenta-se numa exploração de transição-engorda situada numa região de França com pouca densidade suína. A exploração, que engorda animais ¾ Piétrain que se vendem com o peso vivo de 120 kg, realiza um maneio em 3 semanas. Os leitões que entram na exploração provêm todos de uma só origem (200 porcas) situada a 20 km. com desmame aos 28 dias.

A exploração divide-se em três partes:

- 1 pavilhão de transição com 280 lugares sobre slat total e alimentação seca.

- 1 pavilhão de crescimento de 550 lugares sobre slat total e alimentação seca.

- 3 pavilhões de engorda de 2000 lugares sobre cama de palha com alimentação seca e um bebedouro por parque de 30 porcos.


Toda a ração, com excepção da de primeira idade, é fabricada na exploração.

Plano de situação

Plano profilático

- Alimento de primeira idade suplementado com colistina, tilosina e flubendazol.

- Vacinação monodose contra Mycoplasma.


Aparecimento do Caso

Após observar que os porcos na engorda tinham problemas para se levantarem e apresentavam coxeiras a partir dos 60 kg e as injecções com antibióticos (amoxicilina, florfenicol) assim como as injecções com vitamina E e selénio se apresentaram ineficazes, o suinicultor decide por-se em contacto com o veterinário.


Visita à Exploração

Transição

No último lote detecta-se um episódio de diarreia colibacilar que provocou 5% de mortalidade. Observa-se, também, epidermite exudativa em 30% dos leitões 10 dias após a chegada à exploração.

Crescimento

Não existe mortalidade e os animais apresentam um bom índice de crescimento.

Engorda

Observa-se como aproximadamente 8% dos porcos a partir dos 60 kg tem problemas para se levantar e alguns apresentam coxeiras.
A temperatura corporal dos animais afectados é normal.
Os animais que apresentam esta problemática acabam debilitados e o suinicultor tem que os abater.
As injecções com vitamina E e selénio são ineficazes.
A carne dos porcos desta exploração é um pouco pálida e exudativa.

Epidermite exudativa nos leitões na transição Dificuldades para se levantar e deslocar


Medidas Aconselhadas

À espera de realizar análises complementares, o veterinário aconselha tomar várias medidas:

1) Controlar a quantidade de água consumida pelos porcos de engorda e instalar um segundo bebedouro por parque.

2) Realizar uma visita à exploração de produção após observar problemas de epidermite exudativa e diarreia colibacilar nos leitões.

3) Tratamento dos porcos afectados por problemas locomotores com lincomicina injectável durante 3 dias.

4) Verificar a quantidade de vitamina E e selénio no alimento.


Hipóteses de Diagnóstico e Análises Complementares

Os problemas locomotores acentuam-se rapidamente e as injecções com lincomicina não dão resultados satisfatórios.

No matadouro as rejeições afectam ao nível da perna e garupa. Recolhem-se amostras de articulações que são enviadas para o laboratório.

Análises das articulações

Os resultados das análises são os seguintes:

Autopsia:

- inflamação periarticular com ausência de pus.

Bacteriologia:

- cultivo estéril.

presença negativa de Streptococcus, Erysipelothrix rhusiopathiae e Staphylococcus aureus nas articulações


Hipóteses

Nesta altura, não se deve descartar nenhuma hipótese. Em princípio são as seguintes:

- lesões renais devidas à falta de água de bebida que dão lugar a dificuldades para se levantarem,

- degeneração muscular devida a uma deficiência em vitamina E e selénio,

- artrite devida a Mycoplasma hyosynoviae,

- imunodepressão de origem viral que explicaria tanto os problemas no desmame como os locomotores e o debilitamento na engorda.


Análises complementares do laboratório

Decide-se enviar um lote de 5 leitões, um animal de 100 kg, um de 40 kg e 3 de 30 kg.

- 3 animais apresentam paralisia da parte traseira (prostrados).

- 4 animais em 5 apresentam adenite generalizada e 3 de 5 placas de Peyer muito acentuadas. Os gânglios mesentéricos de todos os animais estão hipertrofiados.

- 2 animais apresentam uma quantidade importante de líquido sinovial ao nível das articulações assim como uma ulceração do calcâneo.

- 1 animal apresenta sufusão hemorrágica ao nível do miocárdio.

A bacteriologia só mostra a presença de Pasteurella multocida num animal com pneumonia.

Enviam-se amostras para análise histológica :

- nefrose e nefrite intersticial de diferente importância segundo o animal.

- pequena lesão ao nível da medula espinal num animal com possível origem viral.

- pneumonia de aspecto viral com bronquite num animal.

As análises mediante PCR de amostras de sangue de animais afectados para possível presença de PCV2 resultam negativos.


Conclusão

Os resultados descartam que o problema seja devido a uma artrite bacteriana e a ineficácia dos tratamentos com macrólidos fazem-nos pensar que tampouco se trata de uma artrite devida a micoplasma.

Pode descartar-se também presença de PCV2.


Diagnóstico e Evolução

Diagnóstico

Finalmente detecta-se que a causa de todos os problemas locomotores foi uma carência de vitamina E e selénio devida a um erro de fabricação do concentrado mineral e vitaminico. O fabricante do CMV não incluiu a vitamina E selénio no produto e foi o nutrólogo quem deu conta durante os controles do alimento. A correcção do CMV junto com uma cura correctiva de vitamina E selénio permitiu voltar rapidamente a uma situação normal na engorda.

Coerência do diagnóstico

Esta explicação é coerente com tudo o que se observou:

- Dificuldade para se levantarem, devido a uma degeneração muscular com sintomas que se acentuam ao longo do tempo. A carência vitaminica não parece ter sido o suficientemente importante para ocasionar mortes.

- Ausencia de febre.

- Bacteriologia negativa.

- Tratamento antibiótico ineficaz.

- As lesões de adenite generalizada podem-se explicar como causa de uma deficiência do sistema imunitário devido à carência de vitamina E.

- As sufusões hemorrágicas do miocárdio são igualmente sinal de uma deficiência alimentar em vitamina E.

- A presença de carnes pálidas e exudativas também observadas relacionam-se com uma falta de vitamina E na dieta.

- A única incoerência é a ineficácia da injecção con vitamina E selénio, mas falando com o produtor este indicou que inicialmente realizou uma só injecção e que ao realizar tratamentos mais longos já se observou um efeito positivo.

Em relação com os problemas na transição

Após a visita à exploração de origem dos leitões e depois de rever o corte de dentes, os problemas de epidermite regrediram. Em relação com as diarreias, estas cessaram após modificar a alimentação dos leitões e a fórmula antibiótica da ração de primeira idade.

Não havia relação entre os problemas locomotores e os observados após o desmame.


Comentários

O caso deste mês, que afectou a porcos de engorda de uma exploração de transição-engorde situada numa região de França com pouca densidade suína e donde os animais apresentavam problemas locomotores a partir dos 60 kg de peso, deve-se a uma carência de vitamina E selénio. A análise deste caso permite destacar três coisas:

A importância da observação dos animais, já que neste caso o principal sintoma era a dificuldade que apresentavam os animais para se levantar. No momento da visita, ao inicio do problema, os sinais eram pouco evidentes e as rejeições no matadouro orientaram para um problema de artrites.

Se bem que no inicio já se pensou numa possível carência de vitamina E, o periodo de tempo necessário para obter os resultados das análises e a ineficácia das injecções com vitamina E fizeram pensar noutras possíveis causas. Encontramo-nos no limite entre o nutricional e o médico de forma que neste caso é importante poder trabalhar em sinergia. A intervenção um pouco tardia do nutrólogo fez perder tempo.

È interessante destacar neste caso que as análises de laboratório são coerentes com a origem do problema, coisa que sempre é tranquilizadora! As autopsias realizadas no laboratório de análises puseram em evidência a presença de sufusões hemorrágicas devidas a uma carência de vitamina E mas só em um animal.

Casos Clínicos

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags