Artrites por Escherichia coli 078 K80

Há vários agentes causadores do aparecimento de artrites nos porcos. Neste caso as artrites foram provocadas por E. coli

2ª feira 4 Abril 2005 (há 13 anos 8 meses 15 dias)
gosto

Descrição da Exploração


Trata-se de uma exploração de ciclo fechado de 220 porcas com maneio em bandas de 3 semanas, situada numa zona de alta densidade porcina em França.

- A ração é fabricada na exploração.
- Faz-se autorreposição. O núcleo de “avós” Large White, que representa menos de 10% das porcas, inseminam-se com sémen de varrascos Landrace (comprado). As fêmeas (F1) resultantes são criadas em engordas da exploração a partir dos 25 kg até entrarem em produção.

Estado sanitário

° Aujeszky: indemne
° PRRS: positivo
° App: positivo (Biovar 1 Serovar 2). Durante os dois anos anteriores existiram alguns episódios esporádicos até ao final da engorda com mortalidade elevada.
° Mycoplasma hyopneumoniae: positivo
° Os surtos de diarreia colibacilar (K88) são frequentes depois do desmame
° Frequentemente observam-se coxeiras nas primíparas, foram recolhidas amostras nas articulações mas não se isolou nunca nenhuma bactéria. Contudo, estas coxeiras desaparecem quando se medica a água com tilosina.

Programa sanitário

Porcas Leitões
Vacinações Aujeszky
Mal rubro
Parvovirus
Influenza
Rinite atrófica
Aujeszky
Micoplasma (3 injecções às 2, 5 e 15 semanas de idade)
Desparasitações Flubendazol a todas as porcas 2 vezes/ano
Amitraz pulverizado antes de entrar na maternidade
Flubendazol no starter
Antibioterapia Um tratamento preventivo com colistina no starter para a colibacilose
Por vezes prolonga-se este tratamento até à décima semana de idade

Resultados técnicos

Os resultados são bons: 24 porcos vendidos por porca presente durante o ano passado.


Visita à Exploração


Há uns meses que se observou um aumento das coxeiras nas primíparas, mas também em leitões lactantes e desmamados. O suinicultor chamou-nos e ao não ser possível fazer a visita senão duas semanas depois, são aconselhadas as seguintes medicações de forma temporal:

-Leitões: amoxicilina (20 mg/kg) IM duas injecções (de 48 em 48 horas)
-Primíparas: lincomicina (10 mg/kg) IM três injecções (de 24 em 24 horas)

Duas semanas depois do telefonema visita-se a exploração.

Reposição

- 2 primíparas estão em postura de “cão sentado” e coxeiam ligeiramente ao andar.

- 1 primípara apresenta uma coxeira severa num membro anterior e desloca-se com muita dificuldade.

- Os outros animais têm um bom aspecto: não apresentam anorexia, tosse nem diarreia.

Maternidade

- Observa-se artrite em 5% dos leitões. Alguns têm várias articulações afectadas mas o seu estado geral é normal, não apresentam outros sintomas.

Baterias

- Também se vêem poliartrites em 4-5% dos animais, aparecem em animais entre 8-15 kg de peso vivo.

Engorda

- Não se vêem problemas nos porcos de engorda.

Conclusão da visita

Os tratamentos recomendados por telefone não foram eficazes neste caso. Decide-se mandar alguns leitões lactantes e desmamados (sem medicar) para o laboratório para fazer a necrópsia e recolher amostras das articulações afectadas para fazer culturas. Enquanto se espera pelos resultados aconselha-se a tratar os leitões com marbofloxacina (2 mg/kg) IM três vezes (de 24 em 24 horas).

Abate-se a primípara mais afectada.



Evolução do caso e Primeiros resultados


O estado das primíparas é cada vez pior.

Três dias depois da visita abateram-se 6 leitões lactantes (duas semanas de idade) e 4 leitões desmamados (4-7 semanas de idade) porque estavam gravemente afectados. O tratamento com marbofloxacina não teve qualquer efeito.

Resultado das necropsias

Apresentam-se os resultados da necropsia de 4 leitões (2 lactantes e 2 desmamados) e as culturas das articulações.

Lechones
N°1 (maternidad) N°2 (maternidad) N°3 (destete) N°4 (destete)
Peso 6 kg 5 kg 10 kg 10 kg
Estado geral Regular (emagrecimento pouco pronunciado) Regular (emagrecimento pouco pronunciado) Bom Bom
Aparelho circulatório Normal Normal Pericardite purulenta Normal
Aparelho respiratório Normal Normal Pleurite Normal
Aparelho digestivo Normal Estômago vazio Mucosa congestiva, intestinos dilatados, conteúdo pastoso e amarelado Diarreia amarelada
Aparelho locomotor Poliartrite purulenta Poliartrite purulenta Poliartrite purulenta Poliartrite purulenta


Resultado das culturas

As análises permitiram isolar e identificar um agente comum em todas as articulações:

N°1 (maternidade) N°2 (maternidade) N°3 (baterias) N°4 (baterias)
Isolamento e identificação Escherichia coli 078K80 Escherichia coli 078K80 Escherichia coli 078K80 Escherichia coli 078K80
Antibiograma Sim Não Não Sim



Diagnóstico e Medidas tomadas


Diagnóstico

Tendo em conta as lesões observadas na necropsia e os resultados do laboratório, o diagnóstico orienta-se para uma artrite causada por Escherichia coli 078 K80. Os resultados do antibiograma explicam os fracassos terapêuticos anteriores.

Realizaram-se antibiogramas de duas das culturas e o resultado foi idêntico em ambos.

Aminósidos Gentamicina Resistente
Spectinomicina Resistente
Apramicina Sensível
Neomicina Sensível
Beta-lactámicos Amoxicilina Resistente
Ceftiofur Sensível
Quinolonas Acido oxolínico Resistente
Flumequine Resistente
Enrofloxacina Resistente
Marbofloxacina Resistente
Polipéptidos Colistina Sensível
Sulfamidas Trimetoprim + sulfamidas Resistente
Tetraciclinas Oxitetraciclina Sensível
Doxiciclina Resistente

Medidas tomadas

° Decide-se tratar os animais afectados com Ceftiofur por via intramuscular (1 mg/kg) 3 dias seguidos.

° Decidiu-se fazer uma autovacina a partir da estirpe isolada no laboratório. As porcas serão vacinadas 3 e 6 semanas antes do parto.

° Utilizar pó secante e desinfectante na maternidade durante os dois primeiros dias de vida, deixar de cortar os dentes e usar uma lima.

° Limpeza e desinfecção profunda nas salas de partos e baterias entre bandas.



Evolução do caso


As primeiras porcas vacinadas ainda demoraram umas semanas para começar a parir, pelo que não se observou nenhuma evolução.

Espera-se que haja uma boa resposta à vacinação nos leitões ainda que não se saiba se também poderá ver-se um efeito positivo nas primíparas.




Comentários

Trata-se de uma exploração de ciclo fechado com um episódio de artrites muito graves em leitões lactantes e desmamados e em porcas primíparas provocada por Escherichia coli 078 K80.

Diagnóstico diferencial

Poderiam-se considerar várias hipóteses de diagnóstico para explicar as coxeiras:

- Artrite por Mycoplasma hyosynoviae ocasionalmente observada nas primíparas e os porcos no final da engorda. O tratamento com tilosina (ou lincomicina) é, em geral, eficaz.

- Mal rubro: pode observar-se nas primíparas que não tenham sido vacinadas, ou nos porcos de engorda.

- Artrites por Haemophilus parasuis.

- Patógenos oportunistas: estreptococos, estafilococos, colibacilos, …

A diversidade de hipóteses confirma a importância de recorrer ao laboratorio para instaurar um tratamento eficaz.

Sobre o diagnóstico de Escherichia coli 078 K80

Escherichia coli 078 K80 es un gérmen ambiental que frequentemente se isola em infecções respiratórias de aves de capoeira (frangos, perús e patos). Estas infecções frequentemente são graves e provocam mortalidades elevadas. É um patógeno oportunista que aparece depois de surtos de doenças respiratórias, e a sua forma septicémica é frequente: quadros de poliartrite, pericardite e aerosaculite. A transmissão produz-se pela fauna salvagem, insectos coprófagos ou pela contaminação da água de bebida ou da ração.

Em humanos foram descritos casos de meningite causados por Escherichia coli 078 K80.

Raramente se encontra Escherichia coli 078 K80 relacionada com patologia suína, neste caso, o suinicultor não cria nem está em contacto com aves de capoeira pelo que a origem da infecção é difícil de explicar. As aves selvagens ou a contaminação da água ou a comida podem ser a origem.

Sobre o antibiograma

Em geral, como se viu neste caso, este serotipo de E.coli é resistente a muitos antibióticos. Cabe destacar que dentro de uma mesma familia de antibióticos, as sensibilidades são muito diferentes, o que consolida a ideia de que hoje é indispensável sistematizar os antibiogramas depois do isolamento e identificação de bactérias patógenas.

¿Existe uma correlação entre as artrites das primíparas e dos leitões?

Podemo-nos perguntar se as artrites que se observam regularmente nas primíparas da exploração são causadas por Escherichia coli 078 K80, já que não se isolaram outras bactérias e o tratamento com tilosina oral parece ter funcionado. Portanto será interessante ver se a autovacina permite reduzir este problema de artrites também nestes animais.

Casos Clínicos

Abortos no final da gestação02-Mai-2005 há 13 anos 7 meses 17 dias
Melhoria da produtividade de uma exploração07-Mar-2005 há 13 anos 9 meses 12 dias

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags