Leia este artigo em:

Hiperprolíficas? Sim, mas não tanto...

Um dos desafios encontrados nas porcas hiperprolíficas é que o tamanho da ninhada influi no número de leitões nascidos mortos. Mas sabemos em que medida?

Os avanços genéticos na suinicultura acarretam um desafio para os produtores, para os veterinários e para os trabalhadores das explorações, já que pode ser aproveitada a principal vantagem da porca hiperprolífica: maior prolificidade, para produzir o maior número possível de boa qualidade por porca.

Um dos desafios encontrados nas porcas hiperprolíficas é que o tamanho da ninhada influi no número de leitões nascidos mortos. Mas sabemos em que medida? Neste artigo vamos analisar como é que a prolificidade das porcas afecta a média dos leitões nascidos mortos.

A partir da base de dados de PigCHAMP Pro Europa S.L., foi analisado um grupo de explorações com um total de 20.160 porcas em produção com diferentes genéticas hiperprolíficas e foram analisados os partos de 2 anos (Outubro 2014 - Setembro 2016), um total de 93.896 partos com uma média de 3,6 partos por porca.

A média dos leitões nascidos totais nesses partos é de 14,8 leitões, tendo o máximo nas porcas de 3º e 4º parto com 15,2 e 15,3 leitões nascidos totais respectivamente.

Gráfico 1: Média de leitões nascidos totais por número de parto a partir de 93.896 partos de porcas hiperprolíficas que ocorreram entre Outubro de 2014 e Setembro de 2016
Gráfico 1: Média de leitões nascidos totais por número de parto a partir de 93.896 partos de porcas hiperprolíficas que ocorreram entre Outubro de 2014 e Setembro de 2016

A média dos leitões nascidos mortos é de 1,5 leitões. As porcas até ao 4º parto estão abaixo de 1 leitão nascido morto, e acima de um a partir do 5º parto.

Gráfico 2: Média de leitões nascidos mortos por número de parto a partir de 93.896 partos de porcas hiperprolíficas que ocorreram entre Outubro de 2014 e Setembro de 2016
Gráfico 2: Média de leitões nascidos mortos por número de parto a partir de 93.896 partos de porcas hiperprolíficas que ocorreram entre Outubro de 2014 e Setembro de 2016

De seguida, analisamos se existem diferenças quanto à média dos leitões nascidos mortos (NM) segundo o número de leitões nascidos totais (NT). Para isso, as porcas foram classificadas em três grupos:

  1. Porcas com menos de 13 leitões NT (21.134 partos)
  2. Porcas entre 13 e 16 leitões NT (43.889 partos)
  3. Porcas com mais de 16 leitões NT (28.873 partos)

A média NM nas porcas com menos de 13 leitões nascidos totais é de 0,5, aumentando em 0,2 leitões nas porcas a partir do 7º parto.

As porcas que tiveram entre 13 e 16 NT, têm uma média de 0,8 leitões NM e vê-se um aumento notável nas porcas a partir do 6º parto, onde se supera a média de um leitão nascido morto.

Finalmente, nas porcas com prolificidade de mais de 16 leitões NT, a média de leitões NM é de 1,6. Independentemente do número de parto, o número de leitões nascidos mortos é maior que 1, havendo um aumento no número dos leitões nascidos mortos a partir das porcas de 4º parto e inclusive chegando-se a 3 nascidos mortos nas porcas de 10 partos.

Gráfico 3: Média de leitões nascidos mortos segundo a ordem de parto para as ninhadas de menos de 13, entre 13 e 16 ou mais de 16 leitões nascidos totais (NT). A análise baseia-se em 93.896 partos de porcas hiperprolíficas que ocorreram entre Outubro de 2014 e Setembro de 2016
Gráfico 3: Média de leitões nascidos mortos segundo a ordem de parto para as ninhadas de menos de 13, entre 13 e 16 ou mais de 16 leitões nascidos totais (NT). A análise baseia-se em 93.896 partos de porcas hiperprolíficas que ocorreram entre Outubro de 2014 e Setembro de 2016

Gráfico 4: Média de leitões nascidos totais (NT) segundo a ordem de parto para as ninhadas de menos de 13, entre 13 e 16 ou mais de 16 leitões nascidos totais. A análise baseia-se em 93.896 partos de porcas hiperprolíficas que ocorreram entre Outubro de 2014 e Setembro de 2016
Gráfico 4: Média de leitões nascidos totais (NT) segundo a ordem de parto para as ninhadas de menos de 13, entre 13 e 16 ou mais de 16 leitões nascidos totais. A análise baseia-se em 93.896 partos de porcas hiperprolíficas que ocorreram entre Outubro de 2014 e Setembro de 2016

Em resumo, as porcas que parem mais de 16 leitões totais, parem o dobro dos leitões mortos em relação às porcas que parem entre 13 e 16 leitões e mais do triplo que as porcas que parem menos de 13 leitões. A evolução na genética das porcas está a tornar a prolificidade maior mas, por sua vez, está a obrigar-nos a trabalhar de uma maneira cada vez mais profissional se queremos aproveitar todo o potencial destas porcas.

É necessário um cuidado e um maneio mais especializado do pessoal nas explorações em todas as fases, desde a adaptação das porcas de substituição, inseminação, alimentação das porcas em todas as fases, até ao momento do parto que é onde, se tudo foi feito correctamente, se verão os resultados. É muito importante fazer uma correcta atenção aos partos e, tendo em conta o que foi visto no artigo sobre o claro aumento dos leitões nascidos mortos em porcas hiperprolíficas, é muito importante conhecer o historial da porca e realizar uma boa monitorização do parto, assim como realizar uma bom processamento dos leitões (secagem, encolostramento...). Todo isto ajudará a reduzir o número dos leitões nascidos mortos e as baixas de lactação. Este será um assunto tratado nos próximos artigos.

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags