Leia este artigo em:

Dias não produtivos (1/2): 16.000 € escondidos na gestação

Vejamos o caso de uma exploração que tem 5 dias não produtivos a mais que a média das explorações com o seu perfil, onde se perdem estes dias?

A gestão de uma suinicultura compreende a revisão equilibrada de diferentes factores como são a sanidade, o maneio dos animais, formação do pessoal e uma correcta análise dos dados produtivos. Às vezes, o equilíbrio perde-se e damos mais peso a alguns deles por não termos clara a relação existente entre, por exemplo, certos parâmetros produtivos e os resultados económicos. Um claro exemplo disto sãon os Dias Não Produtivos (DNP), parâmetro que indica eficiência produtiva e que, além disso, tem um valor fácil de calcular ou definir para cada exploração, ou seja, é um exemplo de tradução directa do produtivo para o económico.

O caso que iremos apresentar neste artigo ocorreu numa exploração de 450 mães em produção com leitões até aos 20 kg de peso vivo e reposição própria. Para a análise utilizaremos as árvores de produtividade interactivas desenvolvidas pela PigCHAMP. A exploração utiliza máquinas de alimentação electrónica desde o ano 2008.

Em Janeiro de 2013, uma vez fechado o ano anterior, analisámos os dados desta exploração comparando com as médias das explorações de perfil similar que nos enviaram dados nesse mesmo período (130.000 do total de 230.000 porcas). Ao analisar a árvore de produtividad que decompõe os DNP, observamos que se encontra muito acima do valor médio: 28,3 DNP/sucesso, contra os 23,6 DNP/sucesso da média global (gráfico1)

Comparativa del año 2012 de los DNP por suceso. Media de base de datos (azul) vs media de la explotación analizada (verde)

Gráfico 1: comparativo do ano 2012 dos DNP por sucesso.
Média da base de dados (azul) vs média da exploração analisada (verde)

Media DNP por sucesso = Total de DNP de todos os sucessos que compõem os dias não produtivos/nº total de sucessos que compõem os dias não produtivos

Exemplos de sucessos que compõem os dias não produtivos são: repetições, porca vazia, morte de porca, envio para o matadouro ou cobrição

A partir daqui, são revistos quais são os pontos chave que permitem a maior margem de melhoria. Separamos sucessos por nulípara e sucessos por porca produtiva.

comparativa del año 2012 de los DNP por suceso de nulípara. Media de base de datos (azul) vs media de la explotación analizada (verde)
comparativa del año 2012 de los DNP por suceso de nulípara. Media de base de datos (azul) vs media de la explotación analizada (verde)

Em relação aos DNP por sucesso de nulípara (gráfico 2). Os principais campos que se podem melhorar e controlar são:

  • DNP entrada-1ª cobrição, é importante destacar que nesta exploração dá-se a entrada das nulíparas disponíveis entre os 190-200 dias de vida.
  • 1ª cobrição-venda.
  • 1ª cobrição-concepção

Gráfico 2: comparativo do ano 2012 dos DNP por sucesso de nulípara.
Média da base de dados (azul) vs média da exploração analisada (verde)

Continuamos a analisar a idade à primeira cobrição (gáfico 3) para verificar que as porcas se cobrem com uma idade mais elevada que o desejável e é nesta fase quando acumulam DNP's.

Edad a la primera cubrición en 2012

Gráfico 3. Idade à primeira cobrição em 2012

O maior volume de cobrições concentra-se entre os 241 e os 280 dias, com 22,1% entre 261 e 280 dias, uma cifra superior ao desejável. O período óptimo de cobrição para esta genética localiza-se entre os 230 e os 250 dias.

comparativa del año 2012 de los DNP por suceso de cerda.Media de base de datos (azul) vs media de la explotación  analizada (verde)

Quanto aos DNP por sucesso de porca produtiva encontramos uma situação similar, os campos que se podem melhorar são:

  • 1ª cobrição-venda
  • 1ª cobrição-concepção
comparativa del año 2012 de los DNP por suceso de cerda.Media de base de datos (azul) vs media de la explotación  analizada (verde)

Gráfico 4: comparativo do ano 2012 dos DNP por sucesso de porca.
Média da base de dados (azul) vs média da exploração analisada (verde)

Os pontos críticos de controlo parecem estar relacionados com uma deficiente detecção dos cios aptos para cobrição nas nulíparas (DNP entrada-primeira cobrição), a detecção de porcas vazias nos parques (DNP 1ª cobrição-concepção por aborto ou por repetição) e a planificação de porcas para o matadouro (DNP 1ª cobrição-venda).

Uma vez identificados os campos que apresentam deficiências, visita-se a exploração e confirma-se que não existe nenhum sistema de controlo ou registro dos sucessos na gestação a não ser o bloco de notas do operério e o clássico livro de cobrições. As porcas não têm fichas de identificação na gestação, não se fazem revisões de rotina nos parques e não se dispõe de um sistema de controlo de cios nas nulíparas.

Concorda-se em implementar um pacote de medidas de controle e registo destes sucessos, desenham-se uma série de formulários adaptados à exploração e da-se formação aos operários para levar a cabo as novas rotinas, mostrando a sua importância e as melhorias que podem trazer.

Artigos relacionados

Artigos

Importância da hiperprolificidade19-Mai-2014 há 5 anos 5 meses

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags