Leia este artigo em:

Vacinação contra PRRS de leitões de 1 dia de vida com anticorpos maternos

O objectivo do estudo foi avaliar a influência de anticorpos maternos derivados (MDA) na eficácia de uma vacina atenuada contra PRRSV-1 quando administrada em leitões com 1 dia de idade por via intramuscular.

2ª feira 31 Dezembro 2018 (há 9 meses 18 dias)
gosto

O objectivo do estudo foi avaliar a influência de anticorpos maternos derivados (MDA) na eficácia de uma vacina atenuada contra PRRSV-1 quando administrada em leitões com 1 dia de idade por via intramuscular. A imunidade protectora da vacina viva modificada foi avaliada em porcos nascidos de porcas seropositivas, vacinados com 1 dia de idade, após a inoculação com um isolado de PRRSV-1. Os animais foram expostos ao vírus quando os níveis de MDA detectados pelo teste de seroneutralização (SNT) no grupo controlo não vacinado se tornaram indetectáveis (10 semanas após a vacinação).

Observou-se um efeito protector da vacina, uma vez que foi detectada uma redução significativa da carga viral no soro, em comparação com o grupo de controlo, em todos os dias de amostragem após a exposição ao vírus. Esta eficácia foi apoiada pela redução significativa na eliminação nasal e oral do vírus, bem como nas temperaturas retais. Não eram esperados sinais clínicos após a inoculação com a estirpe do subtipo 1 PRRSV-1, no entanto, o vírus foi capaz de causar febre em 61% dos porcos de controlo. A vacinação teve um efeito positivo na temperatura retal, uma vez que a percentagem de suínos que tiveram febre pelo menos uma vez após a exposição ao vírus foi reduzida para 31% nos animais vacinados, além disso, os suínos controlo tiveram temperaturas retais significativamente mais altas do que os porcos vacinados, 3 dias após a exposição. A falta de um efeito da vacinação no aumento do peso corporal deveu-se provavelmente ao curto período de avaliação após a exposição (10 dias). No grupo vacinado, 9/16 porcos (56%) experimentaram um aumento na relação ELISA S / P desde o dia da vacinação e até 67 dias depois. Todos os porcos vacinados eram seropositivos antes da exposição, indicando o desenvolvimento de uma resposta de anticorpos após a vacinação, mesmo na presença de MDA. Por outro lado, em relação aos resultados de ELISA, apenas 2/16 dos porcos vacinados desenvolveram anticorpos neutralizantes detectáveis por um SNT utilizando uma estirpe adaptada do subtipo MA-104. Mesmo na ausência de anticorpos SN, os porcos vacinados foram protegidos da exposição com uma estirpe heteróloga. O papel da imunidade mediada por células deve ser levado em consideração, se a protecção não for mediada apenas por anticorpos SN.

A melhoria nas variáveis clínicas, virológicas e imunológicas demonstram a eficácia da vacina de PRRSV-1 atenuada em suínos de 1 dia de idade seropositivos para PRRSV antes da exposição a PRRSV-1. Por meio deste delineamento experimental, a imunidade materna não interferiu no desenvolvimento de uma resposta imunitária protectora contra uma exposição ao PRRSV-1, após a vacinação de suínos com 1 dia de idade, mas é necessário confirmar estes resultados sob condições de campo.

Balasch et al. Vaccination of 1-day-old pigs with a porcine reproductive and respiratory syndrome virus (PRRSV) modified live attenuated virus vaccine is able to overcome maternal immunity. Porcine Health Management (2018) 4:25. https://doi.org/10.1186/s40813-018-0101-x

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags