Leia este artigo em:

Uso de ZnO protegido na dieta de leitões desmamados

A fim de diminuir o uso de ZnO na alimentação, o presente estudo testou a hipótese de que o uso de ZnO protegido em doses menores pode substituir a alta dose convencional de ZnO em leitões desmamados.

5ª feira 21 Fevereiro 2019 (há 3 meses 1 dias)
1 gosto

Durante décadas, altas doses de óxido de zinco (ZnO) têm sido utilizadas na nutrição de leitões para prevenir a diarreia durante o desmame. No entanto, vários estudos destacaram seus efeitos negativos no desempenho animal e no meio ambiente.

A fim de diminuir o uso de ZnO na alimentação, o presente estudo testou a hipótese de que o uso de ZnO protegido em doses menores pode substituir a alta dose convencional de ZnO em leitões desmamados.

Para este fim, um total de 150 leitões desmamados (28 dias de idade) com um peso corporal médio de 6,48 ± 1,58 kg foram distribuídos ao acaso por 1 de 6 tratamentos dietéticos: dieta basal (NC); dieta basal com 2500 ppm de ZnO desprotegido (NP) e dieta basal com 250, 500, 750 ou 1000 ppm de ZnO protegido (PZ1, PZ2, PZ3 e PZ4, respectivamente). Os leitões receberam tratamentos dietéticos por 6 semanas em duas fases.

O rendimento de crescimento nos leitões alimentados com dietas contendo ZnO protegido foi comparável à dieta NP, excepto na razão G / I durante a fase 1. O coeficiente de digestibilidade aparente total do trato total (DATT) nos leitões alimentados com as dietas com ZnO protegido foi semelhante aos leitões NP. A concentração de Zn no soro foi maior nos porcos alimentados com a dieta NP em comparação aos leitões alimentados com dietas com ZnO protegido. As concentrações fecais de Zn também foram maiores nos leitões alimentados com as dietas NP em comparação às dietas NC e PZ.

Foi observada uma resposta linear da dose de ZnO protegida na concentração fecal de Zn. As contagens de E. coli e Clostridium spp. foram menores no conteúdo digestivo de suínos alimentados com NP do que as dietas com ZnO protegido durante a semana 3. As contagens fecais de E. coli foram maiores nas amostras de leitões alimentados com ZnO protegido do que no ZnO convencional durante a semanas 1 e 3. As contagens de lactobacilos nas fezes foram maiores e menores contagens de Salmonella nas dietas PZ1 e PZ2 do que nas dietas NP durante a semana 6.

De acordo com os resultados, o rendimento de crescimento e a digestibilidade dos nutrientes em leitões alimentados com ZnO protegidos em doses menores foram comparáveis àqueles alimentados com uma alta dose de ZnO convencional. Além disso, a concentração de Zn fecal foi reduzida no tratamento com ZnO protegido. Pode-se concluir que doses menores de ZnO protegido poderiam substituir as doses mais altas de ZnO convencional, como mostrado pelos resultados de desempenho similares e pelo menor impacto ambiental do ZnO protegido.

Upadhaya, S. D., Kim, Y. M., Lee, K. Y., and Kim, I. H. Use of protected zinc oxide in lower doses in weaned pigs in substitution for the conventional high dose zinc oxide. Animal Feed Science and Technology 240 (2018): 1-10. https://doi.org/10.1016/j.anifeedsci.2018.03.012

Abstracts

Uso de cacto na dieta de porcas em lactação14-Fev-2019 há 3 meses 8 dias

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags