Leia este artigo em:

Persistência ambiental dos coronavírus suínos em rações e seus ingredientes

Os vírus PEDV, PDCoV e TGEV são as principais ameaças para a saúde dos porcos e as rações contaminadas desempenham um papel importante na transmissão destes vírus.

Domingo 24 Setembro 2017 (há 23 dias)

O objectivo deste estudo foi caracterizar a inactivação do PEDV, PDCoV e TGEV em diversas matrizes de ingredientes para rações. Foram pesadas amostras de rações completas, plasma de suíno seco por pulverização, farinha de carne, farinha de carne e osso, farinha de sangue, milho, farinha de soja e grãos de destileria dissecados de milho com solúveis foram pesadas (5g/amostra) para frascos de cintilação e inoculados com 1 ml de PEDV, PDCoV ou TGEV. As amostras foram incubadas a temperatura ambiente até 56 dias. As alícotas foram recolhidas em vários pontos do tempo e foi realizada uma preparação de diluições em série de 10 vezes e a inoculação seguinte em cultivos celulares para determinar a quantidade de vírus sobrevivente. A cinética de inactivação foi determinada utilizando o modelo Weibull, que estima um valor delta que indica o tempo necessário para reduzir a concentração de vírus em 1 log. Os valores de Delta de diversos ingredientes foram comparados e analisados.

A farinha de soja teve o maior valor delta (7,50 dias) para PEDV (P <0,06) em comparação com todos os demais ingredientes. Foram observados valores de delta altos (P <0,001) na farinha de soja para PDCoV (42,04 dias) e TGEV (42,00 dias). Houve uma correlação moderada entre o conteúdo de humidade e o valor delta para PDCoV (r = 0.49, P = 0.01) e TGEV (r = 0.41, P = 0.02). Também houve uma correlação negativa moderada entre a sobrevivência do TGEV e o conteúdo de extracto etéreo (r = -0,51, P = 0,01).

Em conclusão, estes resultados indicam que a primeira redução logarítmica de PDCoV e TGEV necessita a maior quantidade de tempo na farinha de soja. Além disto, a humidade e o conteúdo de éter parecem ser um determinante importante na sobrevivência do vírus nos ingredientes das rações.

Trudeau MP, Verma H, Sampedro F, Urriola PE, Shurson GC, Goyal SM; Environmental Persistence of Porcine Coronaviruses in Feed and Feed Ingredients; PLoS One. 2017 May 24;12(5):e0178094. doi: 10.1371/journal.pone.0178094. eCollection 2017. PMID: 28542235 DOI: 10.1371/journal.pone.0178094

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags