Problemas digestivos e pneumonia atípica na maternidade

A administração de medicamentos por via oral deve ser feita com o máximo cuidado para evitar falsas deglutições.

2ª feira 3 Dezembro 2007 (há 12 anos 6 dias)
gosto

Descrição da Exploração

O caso clínico deste mês apareceu numa exploração de produção de leitões com 750 porcas situada numa zona de baixa densidade suína do oeste de França.

O maneio realiza-se em 21 bandas com desmame aos 21 dias de vida.

Tanto as primíparas de substituição como as doses de sémen para a inseminação artificial procedem de explorações externas. A alimentação também é comprada fora enquanto que a água de bebida procede da rede.

A exploração conta com 4 trabalhadores.

O estatuto sanitário é o seguinte:

PRRS positivo
Actinobacillus pleuropneumoniae negativo
Doença de Aujeszky negativo
Mycoplasma hyopneumoniae positivo
Sarna sarcóptica positivo

Profilaxia efectuadas:

PRRS (vacina inactivada)
Parvovirosis
Mal rubro
Colibacilose e clostridiose
Rinite atrófica
Micoplasma
Ivermectina
porcas e primíparas
porcas e primíparas
porcas e primíparas
porcas e primíparas
cerdas y primerizas
primíparas
porcas e primíparas


Aparecimento do Caso

O suinicultor não está satisfeito com os resultados técnicos que está a obter e com o objectivo de os melhorar decide pedir conselho ao veterinário.

O número de leitões desmamados não lhe parece suficiente e deseja melhorar vários pontos, priorizando a prolificidade (12,7 leitões com uma genética hiperprolífica), os desmamados por ninhada (10,5), o intervalo desmame-cobrição fértil (11 dias) e fertilidade das primíparas (84%)


Visita à Exploração

Quarentena

A quarentena, com solo com slat e maneio tudo dentro-tudo fora com limpeza e desinfecção correctas entre lotes, encontra-se isolada dos outros edificios.

As primíparas de substituição de uns 5 a 6 meses de idade entram a cada 6 semanas e são negativas para PRRS. A adaptação aos gérmenes enzoóticos da exploração realiza-se mediante exposição a placentas, dejectos de cerdas da maternidade e de porcas adultas.

Durante a sua estadia na quarentena, as porcas são alimentadas com ração de gestantes.

Durante a visita não se observaram sinais patológicos.

Cobrição e gestantes

Trata-se de uma única sala com muita claridade (iluminação natural). Os animais alimentam-se com alimentação em seco e fornecida duas vezes por dia. Os bebedouros são tipo pipeta.

Os animais apresentam um bom estado. Não se observam rectites, sarna nem descargas vulvares.



Maternidade

É fornecida ração de gestação até ao quarto dia após o parto.

Os partos são provocados aos 114 dias de gestação. Após o parto administra-se de forma sistemática prostaglandinas e sergotonina.

As adopções realizam-se pouco depois do parto.

Nesta fase administram-se vários complementos nutricionais (AD3E, Vitamina E e selénio e cálcio)

Relativamente aos leitões, após o nascimento realiza-se o corte de caudas, limam-se os dentes e é-lhes injectada amoxicilina e colistina via oral.

Nesta fase sim, observam-se diversos problemas:

- partos precoces ou abortos tardios (desde há várias semanas detectou-se uma média de 1 por banda).
- agalaxias e presença de leitões com atraso de crescimento.
- diarreias neonatais.

Se bem que a exploração se encontre bem atendida e os trabalhadores estejam motivados, detecta-se certa preocupação nas maternidades tal e como mostra o número e precocidade das intervenções e a quantidade de medidas de conforto distribuídas nesta fase.


Análises Complementares

Durante a visita decide-se tomar dois tipos de amostras:

- amotras de sangue de um leitão de cada ninhada para verificar o nível de circulação viral do PRRSV.

- envio ao laboratório de 2 leitões de 2 dias de vida sem antiobioterapia sistemática com presença de diarreia para realizar uma análise digestiva completa.

No primeiro caso, das 28 ninhadas analizadas, 2 apresentaram-se positivas mostrando uma forte circulação viral apesar da vacinação com uma vacina inactivada.

Relativamente aos 2 leitões enviados para o laboratório, estes foram os resultados:

Leitão 1
Leitão 2
E coli (+ presença; - ausência)
-
+
Adesina
-
-
Clostridium perfringens
+
+
Dénombrement (cfu/g fecés)
108
106
Elisa ANTÍGENO Clostridium perfringens
+++
++
Alfa-toxina Clostridium perfringens
+
++
β-toxina Clostridium perfringens
-
-
ε-toxina Clostridium perfringens
-
-
Rotavirus
-
-
Toxinas Clostridium difficile
++++
++


Resultados e Medidas Correctivas Tomadas

Os resultados destes exames assinalam uma origem dos problemas relacionado com um ataque conjunto de Clostridium perfringens tipo A e Clostridium difficile

Vacinação contra o PRRS

Tendo em conta o nível de instabilidade da exploração aconselha-se vacinar todo o efectivo em massa com uma vacina viva atenuada.

Medidas zootécnicas

Aconselha-se retardar o momento de realizar as adopções para homogeneizar ninhadas com o objectivo de perturbar o menos possível a ingesta de calostro para, por um lado, obter uma melhor estimulação das mamas e por outro aumentar a imunidade dos leitões recém-nascidos.

Medidas médicas

Devido aos resultados obtidos para os dois leitões enviados ao laboratório, aconselha-se substituír a colistina pela administração profilática de tiamulina via oral.

Outras considerações

Aconselha-se suspender o fornecimento dos complementos nutricionais distribuídos até ao momento e acompanhar a evolução dos resultados para verificar se realmente são necessários.


Evolução do Caso

Após 4 meses desde a última visita o veterinário volta à exploração para realizar a visita de rotina, observando:

- O quase desaparecimento das diarreias neonatais graças à prevenção com tiamulina.

- A presença ainda de alguns partos precoces durante o mês posterior à vacinação em massa se bem que estes cessaram depois e desde há 3 meses não voltou a haver nenhum caso.

- Leitões mais vigorosos durante as 48 h após o parto e menor número de leitões com atraso de crescimento.

Relativamente ao nível de estabilidade da exploração em relação com o PRRS conclui-se que a médio prazo a circulação desapareceu.

A suspensão do fornecimento de complementos nutricionais em princípio não comportou nada em particular, salvo um recrudescimento dos splay-legs, de forma que se aconselha a reiniciar a utilização de vitamina E e selénio mas fornecendo apenas 3 semanas antes do parto.

Tendo em conta todas estas observações a evolução do caso parece favorável e aconselha-se o suinicultor a continuar igual.

É de comentar que a responsável pela maternidade se encontra fora da exploração durante uns dias e que neste momento o responsável é uma pessoa sem experiência em suínos.


Novo Telefonema ao Veterinário

5 semanas após a última vista o suinicultor telefona de novo ao veterinário informando-o sobre o aparecimento de um novo problema na maternidade: nas últimas 4 bandas perdeu uns 10 leitões de entre 2 a 5 dias de vida de ninhadas diferentes e observou também o aparecimento de tosse e dificuldades respiratórias em alguns animais. Nenhum tratamento antibiótico parece mostrar-se eficaz.


Novos Exames Complementares e Conclusão

Após o telefonema recomenda-se ao suinicultor que leve um leitão morto para análise e em vivo para realizar uma bacteriologia e poder identificar os principais gérmenes pulmonares, investigar sobre a presença do PRRSV e obtener amostras para posterior histologia.

O aspecto macroscópico dos pulmões é o seguinte:


Resultados das análises

A bacteriologia não mostrou o isolamento de nenhum germen e a presença de PRRSV foi negativa. Relativamente à histologia, o resultado foi o seguinte:

Examinaram-se várias amostras pulmonares dos leitões observando um aspecto similar para os dois animais.
  • Pulmões: marcadas lesões inflamatórias multifocais, consistentes na presença quase sistemática de um material de tipo seroso (acidófilo, amorfo e homogéneo) no interior das vias respiratórias (alvéolos e bronquíolos), de macrófagos e de abundantes neutrófilos polinucleares hipersegmentados. De forma paralela observa-se uma notória congestão, prominente descamação do epitélio bronquio-alveolar (com princípio de hiperplasia reaccional) e infiltração mononucleada e neutrofilica das paredes alveolares de moderada a forte. Às vezes visualiza-se no seio do exudado fragmentos de um material amarelado refringente ou acinzentado granuloso.
  • Encéfalo e traqueia: ausência de lesões específicas.
Conclusão: pneumonia intersticial e exudativa aguda multifocal forte.

Após comentar com o anatomopatologista parece-lhe que os leitões tiveram pneumonias por falsa deglutição e pergunta se isto é compatível com as práticas da exploração.


Explicação do Caso e Evolução

Na raíz deste resultado inquietante e bastante original, o veterinário põe-se em contacto com o suinicultor para fazer o balanço das práticas na maternidade observando que:

- As lesões são compatíveis com a administração de um produto à base de tiamulina na boca dos leitões ao nascimento e

- a chegada do novo trabalhador sem experiência ao que se lhe deu uma pequena formação de forma muito rápida sem incidir de forma especial sobre a administração de fármacos.


Após rever novamente as práticas, o problema foi resolvido rapidamente.


Comentários

Este caso apareceu numa exploração de produção de leitões (750 porcas) situada numa zona de baixa densidade suína do oeste de França na qual o suinicultor, insatisfeito com os resultados zootécnicos que estava a obter decidiu pedir conselho ao veterinário.

Após realizar diferentes observações e realizar várias análises laboratoriais observou-se a presença de vários problemas na maternidade resolvidos mediante medidas médicas e zootécnicas após o aparecimento de problemas respiratórios nos leitões lactantes.

Em princípio, estes problemas respiratórios em leitões lactantes são relativamente pouco frequentes e podiam ser devidos a:

- PRRS: é por isso que se decidiu investigar a presença do virus nos leitões afectados.

- Influenza: a clínica e a evolução dos sintomas em relação com os grupos de idade mostrou-se pouco compatível.

- Actinobacilose: as lesões macroscópicas não foram evocadoras deste problema.

- Haemophilus parasuiss: pouco compatível com as lesões macroscópicas (sem presença de pleuresia, ausência de bactérias na histologia encontradas depois mediante bacteriologia).

- Micoplasmose: os casos de micoplasmose em leitões lactantes são relativamente pouco frequentes em particular em explorações como esta infectadas de forma crónica.


Como tudo aquilo que se realiza numa exploração, este caso clínico nos permite recordar que inclusivé a medicação é uma prática com certo risco.

O material deVe estar sempre adaptado e em particular neste caso a sonda para a medicação oral. O medicamento deve ser depositado debaixo da lingua e o tratador deve provocar o reflejo de deglutição para que o produto acabe sendo engolido de forma natural. Quando se administram medicamentos via oral é desaconselhado administrar o produto directamente na garganta para evitar uma falsa deglutição.

Casos Clínicos

Co-infecção PRRS-mycoplasma07-Jan-2008 há 11 anos 11 meses 2 dias
Diarreia neo-natal atípica05-Nov-2007 há 12 anos 1 meses 4 dias

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags