Leia este artigo em:

Infestação por Ascaris suum num sistema de cama profunda com palha

São rejeitados 75% dos fígados dos porcos abatidos devido a lesões características de migração parasitária.

2ª feira 9 Abril 2012 (há 6 anos 7 meses 8 dias)
gosto

Descrição da exploração

O caso apareceu numa exploração multisitio de 2000 fêmeas localizada no Chile, está possui fluxos semanais de produção. As reprodutoras encontram-se localizadas a 30 kilómetros dos Sitios 2 e 3 (ver figura 1), estes últimos encontram-se separados e para entrar em cada um deles tomam-se medidas de biossegurança pertinentes. A etapa de engorda começa aproximadamente aos 75 dias de idade e os porcos são colocados num sétio de engorda composto por 15 pavilhões com sistema de cama profunda manejados com palha de trigo, cada pavilhão tem a capacidade de 1150 porcos de engorda e são vendidos aos 170 dias de idade. O alimento é fabricado pela própria empresa. A exploração possiui um estatuto sanitário controlado e o seu plano de vacinação nos porcos é ao desmame, utilizando vacina de Circovirus e Micoplasma. A unidade produtiva de engorda encontra-se numa zona geográfica de baixa densidade suína.

Plano de Exploração

Figura 1. Distribuição geográfica das instalações da exploração.

Aparecimento do caso

Em Julho de 2011, o dono da empresa contacta com o laboratório de diagnostico suíno do país, devido a que o Médico Veterinário Inspector do matadouro, o informou que são rejeitados cerca de 75% dos fígados dos porcos abatidos devido a lesões características de migração parasitária. Na semana seguinte, um profissional do laboratório de diagnóstico encarrega-se de visitar pessoalmente o matadouro e realiza uma inspecção dos fígados de 190 animais aproximadamente, na semana seguinte realiza-se o mesmo procedimiento com a mesma quantidade de porcos. Adicionalmente pergunta ao Veterinário inspector do matadouro desde quando viu esta problemática e este responde que a exploração se caracterizou por ser positiva a lesões cicatriciais de migração parasitária desde há muito tempo, com prevalências não maiores a 5%, contudo, comentou que desde há umas semanas o nível de rejeições aumentou significativamente em alguns lotes de porcos. Os resultados da inspecção são apresentados na tabela 1.

Tabela 1. Resultados dos porcos analizados no matadouro.

Semana 1
Porcos analisados 190
Fígados rejeitados 140
Prevalência fígados cicatrizados 74%
Semana 2
Porcos analisados 192
Fígados rejeitados 54
Prevalência fígados cicatrizados 28%

Após a avaliação no matadouro pode-se determinar que grande quantidade dos porcos possuiam lesões características de migração parasitária no fígado. Também algo que chamou muito a atenção foi que as prevalências entre uma semana e outra foram significativamente diferentes. Os fígados possuiam cicatrizes leves de migração parasitária, onde nenhum excedeu as 4 cicatrizes (figura 2 e 3). Em alguns podem-se ver cicatrizes na vesícula biliar (figura 4).

Lesiones_cicatrizales_higado

Figura 2. Lesão cicatricial de migração parasitária no fígado.

Lesiones cicatrizales en el higado y vesícula

Figura 3. Lesões cicatriciais de migração parasitária no fígado.

Figura 4. Lesões cicatriciais de migração parasitária na vesícula biliar.

Determinação de dinâmica de infecção dentro do sistema produtivo

Com o objectivo de determinar a dinâmica de infestação de Ascaris suum, realizou-se um ensaio para determinar em que idade os animais se estão a infestar e poder realizar um tratamento estratégico.

As infestações por Ascaris suum são maioritariamente diagnosticadas por análise fecal. As fezes recolhem-se directamente do reto, tentando conservar a humidade do material fecal (figura 5).

Toma de muestra fecal

Figura 5. Recolha de amostra fecal, o conteúdo de fezes mantém-se na própria luva e é enviado para o laboratório em forma refrigerada. A luva não deve ter pó de talco.

Desenho do ensaio

Para o ensaio na exploração determinou-se o seguinte desenho:

  • 5 amostras por cada pavilhão de engorda.

Cada uma das amostras foi recolhida de forma aleatória e registou-se a idade média dos animais do pavilhão.

Resultados do exame cuproparasitário

Uma vez recolhidas as amostras, estas foram remetidas ao Laboratório de Diagnóstico Suíno, ali realizou-se um exame cuproparasitário utilizando a técnica de flutuação com posterior visualização à lupa. Os resultados foram os seguintes:

Pavilhão Número de amostras Idade média pavilhão Resultado
Pavilhão 1 5 152 dias Negativo
Pavilhão 2 5 159 dias Negativo
Pavilhão 3 5 166 dias Negativo
Pavilhão 4 5 169 dias Negativo
Pavilhão 5 5 75 dias Negativo
Pavilhão 6 5 83 dias Negativo
Pavilhão 7 5 92 dias Negativo
Pavilhão 8 5 101 dias Negativo
Pavilhão 9 5 109 dias Negativo
Pavilhão 10 5 117 dias Negativo
Pavilhão 11 5 123 dias Negativo
Pavilhão 12 5 129 dias Negativo
Pavilhão 13 5 137 dias Negativo
Pavilhão 14 5 145 dias Negativo

Interpretação dos resultados

Surpreendentemente, os resultados das amostras analisadas deram negativo à contagem de ovos pela técnica cuproparasitária de flutuação. Nenhum porco apresentou resultados positivos.

Plano de acção na exploração

Após a análise de resultados no laboratório consultou-se a empresa para se saber de que forma realizava o controlo de Ascaris suum, a resposta foi a seguinte:

  • Administração de Levamisol em dose individual de 7,5 mg/kg às fêmeas gestantes. Uma semana antes do parto por via oral.
  • Alimento medicado com Fenbenzadol entre os 120 e 130 días de idade numa dose de 150 ppm.

Com estas indicações reforçou-se o programa de desparasitação, tendo especial atenção numa eficaz administração do medicamento dias antes do parto. Também se alterou o principio activo do desparasitante por um que possui Ivermectina a 0,2%. Mativeram-se as idades de tratamento.

Após uma análise dos resultados, esta faz-nos pensar em 3 hipóteses.

  1. Subdosificação do produto desparasitante no alimento ou na porca dias prévios ao parto.
  2. Aquisição de resistência ao desparasitantes pelo parasita
  3. Desenho do ensaio errado, muito baixa quantidade de amostras obtidas.

Evolução do caso

7 meses após ter aparecido o caso, os relatórios do matadouro aparecem com menor prevalência de lesões cicatriciais e a tendência que demonstrou nos últimos meses é que a quantidade de rejeições diminuiu paulatinamente. Segundo o veterinário inspector do abate os casos encontram-se muito abaixo comparados com a época em que apareceu o caso, algo muito importante que mencionou é que há alguns lotes semanais que chegam com maior quantidade de porcos afectados. Esta última informação faz-nos concluir que os pavilhões de engorda ainda se encontram com oócistos na cama, e que se diferenciam uns dos outros.

Comentários

Antes de comentar o caso clínico, resumiremos o ciclo biológico de Ascaris suum, este cesticerco começa o seu ciclo no estado de ovo e entra por via oral para logo migrar em forma de larva para o fígado, pulmão e finalmente chega à traqueia, aqui o animal deglute as larvas que chegam ao intestino para desenvolver-se no estádio adulto, este processo dura aproximadamente 21 dias e uma vez que são adultos demoram 60 a 80 dias a começar a por ovos (figura 6).

Ciclo_ascaris_suum

Figura 6. Ciclo de desenvolvimento de Ascaris suum.

A hipótese mais provável deste caso é que tenha existido uma resistência ao desparasitante nas porcas tratadas dias antes do parto e no alimento dos porcos de engorda, além de se considerar que o número de amostras obtidas na recolha não foi representativa para detectar a presença de ovos.

A dinâmica de infecção do parasita deve ter sido de diferentes formas na população de porcos. A ingestão de ovos durante a lactação é muito provável que tenha sucedido, pois controlar o parasita nas fêmeas é muito difícil, já que a administração manual de desparasitante está submetida a uma série de factores que podem afectar a eficácia da administração do produto, criando lotes de partos que estão secretando ovos em alta concentração nas jaulas de parto, contudo, se existe preocupação de que a fêmea consuma de boa forma o produto e a dose indicada, o controlo da doença é eficaz.

Este caso clínico dá-nos uma experiência importante de que o controlo de Ascaris suum nas camas de palha deve ser muito importante já que em qualquer momento pode existir um desequilibrio sanitário na população de porcos. O material de palha é um meio muito favorável para a manutenção de ovos e a sua eliminação é muito difícil de realizar. Adicionalmente é muito importante realizar mudanças periódicas de desparasitante para prevenir problemas de resistência.

Casos Clínicos

Surto de abortos - o regresso de um velho conhecido15-Mai-2012 há 6 anos 6 meses 2 dias
Falhas reprodutivas27-Mar-2012 há 6 anos 7 meses 21 dias

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags