Infecção por Actinobacillus pleuropneumoniae Biovar 1 Serovar 7

Trata-se de uma exploração com vários tipos de problemas respiratórios crónicos.

2ª feira 2 Fevereiro 2004 (há 14 anos 8 meses 19 dias)
gosto

Descrição da Exploração

Trata-se de uma exploração de ciclo fechado com 800 porcas, com maneio em 2 sítios com uma distância de 100 metros entre ambos:

  • Sítio 1: desde o nascimento até ao desmame aos 21 dias de vida mais 19 dias pós-desmame (idade dos animais à saída= 40 dias). Preparação das primíparas F1 (de auto substituição) no sítio de nascimento.
  • Sítio 2: Pré-engorda e engorda.

Aparecimento do problema

O produtor avisa o veterinário após observar os seguintes problemas respiratórios crónicos:

  • Presença desde há 1 ano de tosse crónica nos porcos desmamados e sobretudo nos porcos de engorda.
  • Dispneia na engorda.
  • Baixo rendimento dos animais: GMD de 700 g/d quando o valor objectivo é de 800 g/d.
  • Recaída sistemática depois de cada tratamento.
  • Isolamentos bacterianos diferentes se se apresentam casos de surtos respiratórios: Pasteurelas, Haemophilus, Estreptococos e Micoplasmas.
  • Controles anteriores nos matadouros: nota global dos pulmões observados = 1/28

A exploração é controlada regularmente para a presença da Doença de Aujeszky e de PRRS sendo negativa para ambos.





Exames antes da visita


Pedem-se dados do controlo dos animais no matadouro para um lote de porcos (mínimo 100) e um lote de primíparas F1 (mínimo 30).

Resultados dos porcos:

    - % de pulmões afectados: 15 %
    - Pontuação para pneumonia em pulmões afectados: 5,5/28
    - Pontuação global : 0,82/28
    - % de pleurisias : 5,7 %
    - % de narizes com lesões : 100 %
    - Pontuação de narizes afectados: 6/20
    - Pontuação global : 6/20

Resultados para as primíparas F1 :

    - % de pulmões afectados : 15,9 %
    - Pontuação para pneumonia em pulmões afectados: 6,7/28
    - Pontuação global : 1,02/28
    - % de pleurisias : 3,5 %




Visita à exploração (dia 1)

Exame do plano profilático:

1. Vacinação das porcas:

  • Parvovirose : primíparas 2 vezes+ vacinação de rappel na maternidade
  • Mal Rubro: primíparas 2 vezes+ vacinação de rappel na maternidade
  • Rinite : primíparas 2 vezes+ vacinação de rappel antes do parto. Realizou-se um controlo imunitário que apresentava uma taxa de anticorpos antitoxina suficiente no colostro de primíparas e porcas.
  • Colibacilose: primíparas 2 vezes e vacinação de rappel antes do parto.

2. Vacinação dos leitões (comerciais e F1) :

  • Micoplasma : 2 injecções aos 3 dias de vida e ao desmame.

Tratamentos actuais:

Leitões desmamados (alimento de primeira idade) : 120 ppm de colistina e 800 ppm de oxitetraciclina.

Visita aos 2 sítios:

1. Maternidade :

  • Primíparas "avós" (compra exterior) : sem sinais clínicos particulares excepto aparecimento de tosse na entrada e à saída da quarentena;
  • Porcas (gestação e maternidade) : sem sinais clínicos particulares;
  • Leitões não desmamados: sem sinais clínicos particulares;
  • Desames: sem sinais clínicos particulares;
  • Transição "protegida" : sem sinais clínicos particulares;
  • Engorda primíparas F1 : tosse mas sem alteração visível do estado geral, GMD 10 % superior ao GMD no sítio de engorda.

2. Pré-engorda e Engorda (8500 lugares)

  • Pré-engorda: tosse forte mas sem nenhuma alteração do estado geral. Diminuição do índice de crescimento e aumento da mortalidade que passa de 1,5 a 3 %
  • Engorda: tosse com dispneia entre as 4 e as 6 semanas após a chegada mas sem mortalidade característica. Sem sinais visíveis de rinite atrófica (desvio do septo nasal , conjuntivite, …)

Em conclusão, presença de tosse mas sem sinais clínicos característicos. São respeitadas as normas zootécnicas: desinfecção, vazio sanitário, ...



Pedido de análises complementares


1. Perfil serológico dos porcos : 23 amostras de sangue (dia 1). Análises a realizar: : Actinobacillus pleuropneumoniae 2 e 1-9-11 + Mycoplasma hyopneumoniae.

2. Contacto com leitões sentinela procedentes da mesma exploração que as "avós" e indemnes aos principais germes respiratórios. O número fixa-se em 10 leitões de 70 dias de vida que entrarão em contacto no início da fase de engorda com os porcos da exploração. O plano de acompanhamento das sentinelas é o seguinte:

D0 : contacto e recolha de amostras de sangue dos sentinelas.

Às 3 semanas: recolha de amostras de sangue

Às 6 semanas : abate de 50 % das sentinelas para realizar análises e recolha de amostras de sangue

Às 12 semanas: controlo no matadouro das sentinela restantes e recolha de amostras de sangue.

Em caso de morbilidade, os sentinelas são abatidos e são realizadas análises bacteriológicas complementares.

À espera dos resultados das análises, decide-se não realizar nenhum tratamento colectivo. Só se realizaram tratamentos individuais mediante injecção de antibióticos. Também se pediu um controlo de cada sala no que diz respeito à ventilação.




Resultado das análises


Perfil serológico dos porcos:

Actinobacillus pleuropneumoniae S2: 0+/23
Actinobacillus pleuropneumoniae S1-9-11: 0+/23
Mycoplasma hyopneumoniae: 2+/23

Perfil serológico, bacteriológico e de lesões das sentinelas:

Número Idade (dias) Necropsia Amostras de sangue
D 0 10 70 0 10
+ 3 sem 9 90 4 (+1 muertos) 9
+ 6 sem 5 110 0 5
+ 12 sem 4 160 Matadouro (+1 morto) 4

D 0 + 3 sem + 6 sem + 12 sem
Micoplasma 0+/10 0+/9 0+/5 0+/4
Influenza (3 serotipos) 0+/10 0+/9 0+/5 0+/4
Coronavirus 2+/10 3+/9 2+/5 2+/4
Actinobacillus 2 et 1-9-11 0+/10 0+/9 0+/5 0+/4
Pasteurella multocida (Tox.) 0+/10 0+/9 0+/5 0+/4

Lesões sobre um total de 5 necrópsias:

- Rinite marcada (atrofia dos cornetos): 4/5
- Pneumonia acentuada (10/28): 4/5
- Pleurisia acentuada: 3/5
- Abcessos pulmonares: 2/5
- Pericardite: 1/5

Bacteriologia das lesões:

1. Lesões pulmonares:
Actinobacillus pleuropneumoniae B1 S7: 2/4
Pasteurella multocida não toxigénica: 1/4

2. Cornetos nasais :
Haemophilus parasuis: 2/4
Pasteurella multocida não toxigénica: 2/4
Actinobacillus pleuroneumoniae B1 S7: 1/4
Steptococcus suis (1-2): 1/4





Diagnóstico


Decidem-se realizar serologias do soro de porcos sentinela armazenadas numa seroteca, com os seguintes resultados:

D 0 + 3 sem + 6 sem + 12 sem
Actino B1S7 0+/10 1+/9 3+/5 4+/4

Serologia das porcas em produção (lactação) : 8+/10


O diagnóstico estabelecido foi o seguinte:

Pleuropneumonia crónica devida a Actinobacillus pleuropneumoniae Biovar 1 Serovar 7 em associação com uma rinite atrófica atípica (sem Pasteurella dermotoxigénica e sem Bordetella) para a qual se detectou a associação entre Haemophilus parasuis e Pasteurella multocida não toxigénica.



Medidas tomadas (tratamento e prevenção)

Medidas a curto prazo: após o exame dos antibiogramas, decidiu-se utilizar oxiteraciclina numa dose de 50 mg/kg 7 dias todas as 8 semanas da engorda.

Medidas a médio prazo:

  • Deslocamento do tratamento com oxitetraciclina na ração de 1ª idade à entrada no pós-desmame (ração de 2ª idade).
  • Teste de vacinação para App em leitões de 8 e 11 semanas.

Medidas a longo prazo: início da vacinação dos reprodutores e animais de substituição contra os 3 patógenos isolados: Actinobacillus pleuropneumoniae B1S7, Haemophilus parasuis e Pasteurella multocida.






Evolução sanitária da exploração


Os tratamentos antibióticos permitiram ao cabo de 6 meses diminuir o impacto dos problemas respiratórios. A vacinação das porcas e das F1 encontram-se em curso e é difícil medir o seu impacto a curto prazo. Observou-se uma nova pioria do rendimento dos animais mas desta vez a origem foi sobretudo digestiva e pôs em questão uma nova utilização de animais sentinela para precisar o diagnóstico.


Comentários
Trata-se de uma exploração de grande tamanho de ciclo fechado com problemas respiratórios crónicos.

Este caso dá lugar a vários comentários posteriores.



  • O diagnóstico dos problemas respiratórios crónicos em três sítios de grande tamanho de pós-desmame e engorda (ciclo fechado) dá lugar a certos problemas para ser suficientemente fiável:
    - os sinais clínicos foram frequentemente insuficientes ou não característicos
    - algumas das necrópsias realizadas no dia da visita não foram suficientes para realizar um diagnóstico


    Uma vez realizado o balanço técnico, em particular no que diz respeito ao plano de ventilação foi necessário recorrer a outros métodos. Neste caso preciso, recorreu-se a 2 métodos diferentes:

    1. O perfil serológico para confirmar uma hipótese;

    2. O contacto com porcos sentinela para "seleccionar" os patógenos "activos". Esta técnica conhecida em estações experimentais utiliza porcos SPF, coisa impossível na exploração. A solução de utilizar porcos da mesma origem que os reprodutores procedentes de uma exploração com estatuto sanitário conhecido representa um método prático.

    Estes dois mátodos permitiram pôr em evidência e confirmar uma patologia devida a Actinobacillus pleuropneumoniae Biovar 1 Serovar 7 a virulência do qual foi suficiente para ocasionar problemas respiratórios crónicos caracterizados por causar problemas no crescimento e lesões de pleurisia.

    Pelo contrário, relativamente ao diagnóstico da rinite atípica constatada nos sentinelas (ausência de Pasteurella dermotoxinogénica e transmissão horizontal nos animais de mais de 70 dias), naquele momento faltou uma ferramenta de diagnóstico fiável. Na actualidade mediante a utilização de escovilhões nasais analizados com uma PCR Pasteurella multocida dermotoxinogénica poderia ter-se confirmado o diagnóstico.
  • O caso mostra também o problema da circulação de Actinobacillus pleuropneumoniae nos reprodutores.
    - ¿Esta circulação é primária ou secundária em relação com a existente na engorda?
    - ¿Como erradicá-lo?

    A combinação do desmame precoce das futuras F1 (14 d) junto com a utilização de um sítio separado para o crescimento e preparação das primíparas cobertas poderá ser uma opção interessante.
  • A última reflexão a que nos leva este caso seria o interesse de uma vacinação específica dos reprodutores para chegar, a curto ou médio prazo, a parar a circulação nestes animais, a homogeneizar o estatuto imunitário dos leitões e decidir a longo prazo a profilaxia antibiótica ou vacinal sobre os porcos de crescimento-engorda

    Ainda que este método seja imperfeito, parece ser um bom intermediário entre a utilização "regular" dos antibióticos na engorda e a erradicação muitas vezes difícil de pôr em marcha.


Casos Clínicos

Pasteurelose em porcos ibéricos01-Mar-2004 há 14 anos 7 meses 20 dias

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags