Episódio de abortos

Descrição da exploração Trata-se de uma exploração situada no oeste de França, numa zona de elevada densidade suína que combina a produção de vacas leiteiras e de porcos. En relação à produ...

4ª feira 30 Novembro 2011 (há 6 anos 11 meses 14 dias)
1 gosto

Descrição da exploração
Trata-se de uma exploração situada no oeste de França, numa zona de elevada densidade suína que combina a produção de vacas leiteiras e de porcos.

En relação à produção suína, a exploração é de ciclo fechado com 280 porcas. O maneio realiza-se em 7 bandas com desmame aos 28 dias. As porcas de substituição são compradas no exterior e entram de 6 em 6 semanas. As doses de inseminação são compradas fora. O alimento também se adquire fora da exploração e a água de bebida procede de um poço tratado com cloro e com peróxidos.

Após a confirmação da gestação as porcas alojam-se em grupo (pavilhão reformado no mês de Março de 2009).



Profilaxia

O plano vacinal é o seguinte:

Animais
Vacinas
Porcas
Mal rubro
Parvovirus
Rinite atrófica
Diarreias neo-natais devidas a colibacilo e Clostridium
Circovirus
Auto-vacina contra Streptococcus
Vacina viva contra o PRRSV em vacinação em massa a cada 3-4 meses
Leitões
Mycoplasma em dose única no momento do desmame.


Resultados técnicos

Os resultados técnicos reprodutivos são correctos com 90 % de fertilidade e mais de 11,5 desmamados.

O índice de perdas nas baterias e engorda encontra-se cerca dos 5% com irregularidades entre bandas.


Aparecimento do caso


O problema e o seu historial

Detectou-se um primeiro episódio de abortos a finais de Março inicios de Abril de 2009.

Após a visita do veterinário e à espera dos resultados das análises iniciou-se o tratamento com oxitetraciclina à razão de 2000 ppm no alimento de gestantes durante 15 dias.

Análise dos abortos

Sobre os fetos abortados analisados, as análises foram negativas para a bacteriologia, PRRS, Leptospirose e Chlamydia enquanto que o resultado da PCR para o circovirus foi positivo se bem que de forma muito débil pelo que foi considerado como um resultado não significativo.

Serologias

As serologias realizadas às amostras das porcas deram os seguintes resultados:

  • Aujeszky: o controlo resulta negativo.
  • Parvovirus e gripe: a cinética das porcas que tinham abortado não apresenta nenhum aumento dos anticorpos que assinalem a presença recente de um vírus.
  • Leptospirose: o baixo nível de anticorpos no tempo 0 da cinética (os anticorpos para leptospirose são muito fugazes) e a descoberta de crias de raposa no pavilhão de gestação fez aumentar a suspeita da presença desta patologia (e eventualmente de outras ainda menos fáceis de diagnosticar).


N° porca
Grip LSI (1)
Grip LSI (2)
Parvo LSI
Parvo LSI (2)
Lepto (1)
Lepto (2)
75082
85
81
1.598
1.521
0
0
61748
73
73
0.742
0.503
0
100
72381
71
68
1.595
1.422
0
200

Que informação fornecem as análises?
Tomarias algumas medidas?, Quais?

Podes responder a esta pergunta ou formular novas no fórum


Primeiras medidas

Aconselha-se um tratamento à base de oxitetraciclina de forma sistemática a cada banda antes de alojar as porcas em grupo.

Aconselha-se realizar uma vacinação de reforço contra o PRRS (que se realizará em meados de Junho).

Insiste-se também em tentar que as porcas recuperem o seu estado corporal de forma rápida após o desmame.

Após uma fase de calma, o mês de Junho de 2009 caracteriza-se por alguns partos que se adiantam e a presença de porcas vazias (sobretudo em porcas de segundo e terceiro parto) com poucos retornos, mumificados e nascidos mortos.

O suinicultor decide utilizar uma nova fórmula de ração na maternidade já que as porcas estão sem demasiado apetite e é difícil recuperar o seu estado.

Insiste-se na necessidade de limpeza e desinfecção sistemática dos alojamentos.

Após a presença de novos abortos a meados de Agosto o fenómeno amplifica-se, sobretudo a partir de 15 de Setembro. O suinicultor decide entrar novamente em contacto com o veterinário.


Visitas à exploração

8 de Setembro

A visita realiza-se devido à presença de um problema de necrose nas caudas e de canibalismo nas baterias.

As amostras de sangue realizadas a 3 leitões afectados e ligeiramente febris deram os seguintes resultados: PCR positiva para PRRS, PCR negativa para CIRCOVIRUS.

A meados de Setembro, no contexto de um aumento do número de abortos, decide-se iniciar o tratamento com oxitetraciclina no alimento das porcas (inicia-se a 18 de Setembro) e antecipar a vacinação de reforço contra o PRRS nas porcas (início das vacinações a 22 de Setembro).


24 de Setembro

A visita tem objectico nos leitões.

Revisão dos abortos

Em que momento?: Algumas porcas abortaram de forma rápida após alojá-las em grupo, uma no dia depois (observaram-se vários empurrões depois). noutros casos os abortos tiveram lugar durante as 3 semanas antes da data prevista de parto. Trata-se principalmente de porcas velhas. Devemos comentar que houve 6 abortos (em diferentes estádios) para uma mesma banda.

Onde?: Os abortos tiveram lugar no pavilhão mais novo onde o conforto em comparação com a parte mais velha é maior. Nas instalações velhas a manutenção da higiene dos solos é mais difícil.

Observação das porcas

Não se observam descargas vulvares nem outros sintomas.Sem diminuição do apetite e sem presença de febre.

Globalmente a fertilidade é boa. O suinicultor nota um ligeiro aumento dos mumificados e nados mortos.

O estado das porcas nesta exploração é difícil de estimar de forma visual de forma que se programa uma nova visita para realizar a medição da espessura de gordura dorsal antes do desmame.


Nova visita à exploração e análise

29 Setembro

Resultados das medidas de espessura de gordura dorsal realizadas em várias porcas a desmamar dois dias depois:


Amostras recolhidas durante a visita

Recolhem-se amostras de sangue das porcas depois do parto, antes da vacinação de reforço contra o parvovirus.

Estas serologias realizam-se para ter uma imagem da circulação do parvovirus e da gripe na exploração (e também como ponto de referência no caso de que estas porcas tenham falhas reprodutivas na seguinte gestação).

Elisa Parvovirus
Elisa Gripe
limiar do vírus de campo> 0,75
limiar> 20
87124
0,285
38
87141
0,291
28
87141
0,453
49
87072
0,484
42
75116
1,078
64
87088
1,091
41
62333
1,156
39
64468
1,169
31
62362
1,205
75
72410
1,578
52
75038
1,674
68
72357
1,720
71
75049
1,775
56
804080
1,786
87
75141
1,834
20


Neste momento o suinicultor ainda não pôde levar animais abortados ao laboratório. Recomenda-se enviar uma ninhada inteira se se apresentar um novo caso.

Com estes resultados na mão, tens alguma ideia do que se está a passar?

Podes responder a esta pergunta ou formular novas no fórum


Análise dos resultados e evolução

Discussão dos controlos realizados a 29 de Setembro:

Relativamente à espessura de gordura dorsal:
  • Constata-se uma elevada heterogeneidade no desmame mas globalmente com porcas muito magras (inclusive se são de uma genética que requere um racionamento alimentar um pouco restritivo).
  • Não houve ainda uma tomada de consciência suficiente sobre a necessidade de melhorar o estado das porcas na cobrição.
Relativamente às serologias os resultados mostram:
  • Uma circulação da gripe na exploração com um ou dois sujeitos pouco imunizados.
  • Uma circulação do parvovirus que teve lugar sem dúvida há alguns meses, já que as porcas jovens (os números que começam por 871), que passaram a gestação no mesmo local que as porcas, apresentam taxas melhor relacionadas com a presença de anticorpos vacinais.
Parece difícil atribuír os abortos ao parvovirus, já que se produziram sobretudo nas fêmeas de número de parto superior a 3, supostamente muito bem imunizadas.
Podemos, pelo contrário, perguntar sobre o papel da gripe nos indivíduos menos protegidos, se bem que não tenha havido sintomas nas porcas.


Evolução entre Outubro e Novembro

No mês de Outubro e princípios de Novembro apresentaram-se mais tranquilos relativamente aos abortos se bem que, pelo contrário, apareceram porcas mortas:

  • 3 apresentavam uma torsão dos orgãos digestivos (devido, sem dúvida à alteração para uma refeição por dia na gestação, técnica que o suinicultor queria experimentar para melhorar a tranquilidade dos animais e a conversão alimentar).
  • uma porca apresentou septicémia devida a uma piómetria.

Dois eixos para estas perdas inusuais: uma pista alimentar (talvez mais um caso de agitação das porcas em grupo) e uma pista relacionada com infecções urogenitais. Contudo, a bacteriologia nas amostras de urina dá um resultado negativo.

Um novo aborto a 10 de Novembro oferece a oportunidade de realizar análises complementares. Haverá outros abortos bem como partos antes do término, neste caso ainda nas porcas de mais idade.

As investigações realizadas aos fetos abortados de 8 semanas dão resultados negativos para leptospirose, Chlamydia, Circovirus, Parvovirus, bacteriologia. Além do mais, a análise histológica não apresentou nenhuma lesão específica.

Um controlo na máquina de fabricar o alimento em sopa das porcas realizado a meados do mês de Novembro mostra algumas irregularidades na diluição.

Durante a visita realizada a 24 de Novembro não se observa nenhum sintoma particular nas porcas, sem febre.

Decide-se reforçar o tratamento com oxitetraciclina, voltar às 2 refeições por dia e realizar novamente uma vacina de rappel contra o PRRSV (a realizar a meados de Dezembro).

A que conclusão chegas?

Podes responder a esta pergunta ou formular novas no fórum



Conclusões

A grande dificuldade nestes episódios de abortos é justamente chegar a conclusões formais.

As pistas microbianas neste caso apenas dão lugar a uma conclusão, a suspeita de uma leptospirose (ou outro agente bacteriano sensível às tetraciclinas) continua a ser a principal hipótese.

O alojamento em grupo das porcas favorece que este tipo de agente patogénico se transmita por contacto através da urina. O tema da alimentação e o estado corporal das porcas também se ataca, supervisionando a distribuição do alimento e que seja o mais individualizado possível.


Comentários

O presente caso descreve um episódio de abortos que teve lugar numa exploração de ciclo fechado com 280 porcas situada numa zona de elevada densidade suína de França com maneio em 7 bandas e desmame aos 28 dias. Trata-se de uma exploração mista que combina a produção suína com a produção de leite.

Em relação ao aparecimento do caso

  • A presença de abortos na exploração foi a habitual.
  • A princípios de Setembro apareceram os primeiros casos que foram atribuídos aos efeitos estacionais e/ou a reacções às vacinas.
  • O episódio de necroses nas orelhas nos leitões desmamados mostra que a exploração se encontra numa fase de depressão imunitária.


Em relação à visita à exploração

  • As visitas trouxeram pouca informação em quase todos os aspectos salvo para a recolha de amostras e medição da espessura de gordura dorsal. Nenhum sintoma apresentado pelas porcas nos pôde levar sobre a pistas (nem tosse, nem febre, nem descargas...).

Em relação com as medidas tomadas

  • Este caso é, levado ao extremo, representativo da impossibilidade demasiado frequente de realizar um diagnóstico no caso de problemas de abortos, e, em consequência, da dificuldade de decidir a acção a realizar.
  • Neste caso as medidas foram dirigidas principalmente ao reforço da prevenção dos dois principais patogénios sobre os quais recaíam as suspeitas para este tipo de problemas: o PRRSV e a leptospirose.
  • Em relação à gripe, pediu-se sobretudo para controlar a temperatura corporal das porcas no caso de aparecerem abortos.
  • O maneio alimentar deve ser tido também em consideração (formulação, qualidade e estado corporal das porcas), já que tem um impacto importante sobre a tranquilidade dos animais alojados em grupo.

Em relação à evolução do caso

  • Não há sintomas nas porcas desde Dezembro. As maternidades estão cheias e o número de leitões desmamados aumenta.
  • Pelo contrário, aparecem episódios de colibacilose nas baterias, mostrando a precária situação imune desta exploração.


Dr Françoise DAVID
Veterinária
22 - LOUDEAC

Casos Clínicos

Abortos em porcas jovens05-Dez-2011 há 6 anos 11 meses 8 dias
Pneumonias com elevada mortalidade na engorda 17-Nov-2011 há 6 anos 11 meses 27 dias

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags