Leia este artigo em:

Uso de nova fitase: efeitos sobre digestibilidade do P nas porcas lactantes

A administração de um nível baixo de P com fitase não afecta os rendimentos produtivos da porca.

5ª feira 18 Junho 2015 (há 4 anos 3 meses 5 dias)
gosto

Os porcos carecem de fitase salivar e gástrica e a actividade fitase endógena gerada pela mucosa do intestino delgado é insuficiente para hidrolisar o P fítico. Portanto, o P não utilizado é excretado e pode dar lugar a contaminação do meio ambiente se não for gerida adequadamente. O objectivo do presente trabalho foi estudar a eficácia de 500 FTU/kg de fitase microbiana de C. braakii em porcas lactantes alimentadas com uma dieta à base de trigo com baixa disponibilidade de P sobre a digestibilidade total aparente (DTA) de P, cálcio (Ca), proteína bruta (PB) e energia bruta assim como concentrações dos parâmetros plasmáticos associados à absorção de nutrientes em comparação com uma dieta normal formulada com P disponível. O consumo das porcas e o peso vivo (PV) foram controlados para assegurar a manutenção dos rendimentos das porcas. No total, 45 porcas gestantes (Large × Landrace branco) foram alojadas individualmente e alimentadas com uma das três dietas experimentais: (1) controlo positivo (CP; 5,2 g P disponível/kg), dieta regular com P inorgânico; (2) controlo negativo (CN; 2,0 g P disponível/kg) sem P inorgânico; e (3) CN + 500 FTU/kg (NC + PHY). As porcas foram alimentadas a partir do dia 108 de gestação atá ao dia 15 da lactação. As amostras de sangue foram recolhidas no dia 1 e 15 da lactação para determinar os minerais plasmáticos (P, Ca, magnésio, cobre, ferro e zinco) e níveis plasmáticos de ureia, glucose, proteínas totais, albumina e globulina.

No dia 15 da lactação, a dieta suplementada com fitase aumentou (P <0,05) a DTA do P de 0,34 para 0,46 relativamente a CN, mas não afectou a DTA da PB, energia bruta e Ca. No dia 1 de lactação, o P plasmático foi de 0,66 mmol/L menor (P <0,05) em porcas alimentadas com CN que com CP. A suplementação de fitase no CN aumentou (P <0.05) a concentração plasmática de P 0,40 mmol/L no dia 1, mas não no dia 15. O consumo e o peso vivo não diferiram entre os três tratamentos.

Em conclusão, a suplementação de uma dieta à base de trigo baixo em P para dietas de porcas em lactação com 500 FTU/kg de fitase microbiana de C. braakii aumentou a digestibilidade do P. Portanto, oferece uma medida para reduzir a excreção fecal de P em porcas. Por isso, pode reduzir o custo da ração mediante a redução da quantidade de P inorgânico acrescentado às dietas e pode reduzir a contaminação ambiental.

Nasira, Z., Brozb, J. and Zijlstra, R.T. 2014. Supplementation of a wheat-based diet low in phosphorus with microbial 6-phytase expressed in Aspergillus oryzae increases digestibility and plasma phosphorus but not performance in lactating sows. Animal Feed Science and Technology, 198; 263-270. doi.org/10.1016/j.anifeedsci.2014.10.008

Artigos relacionados

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags