Leia este artigo em:

Porcos modificados geneticamente protegidos contra vírus da PSC

Foram produzidos porcos transgénicos anti-PSCV (TG) e posteriormente foram realizadas experiências de modo a ser imitada a propagação natural do PSCV por co-habitação.

3ª feira 29 Janeiro 2019 (há 5 meses 18 dias)
gosto

A Peste Suína Clássica (PSC) é uma doença muito prejudicial e causa perdas económicas significativas na indústria suína. Pesquisadores da Universidade de Jilin, na China, desenvolveram porcos geneticamente modificados, protegidos contra o vírus da PSC.

Durante o estudo, os pesquisadores selecionaram pequenos RNAs antivirais (shRNAs) que foram inseridos no locus Rosa26 suíno (pRosa26) através de inserção mediada por CRISPR / Cas9. Por último, foram produzidos porcos transgénicos anti-PSCV (TG) através de transferência nuclear somática.

Posteriormente foram realizadas experiências com animais com um modo de infecção "por contacto". Os porcos foram distribuidos ao acaso por duas salas separadas e cada sala incluia porcos não TG infectados com o vírus da PSC (NTG-In), três porcos NTG e três porcos TG. Após três dias de aclimatação, os porcos NTG-In foram desafiados com PSCV através de injecção intramuscular, enquanto que os outros porcos alojados não foram injectados, de modo a ser imitada a propagação natural do PSCV por co-habitação. Durante o curso da infecção, os sintomas clínicos associados a PSCV (incluindo letargia e hemorragia), mortalidade e virémia foram controlados e registados diariamente. Os resultados mostraram que todos os porcos NTG desenvolveram sinais típicos de infecção por PSCV, com uma taxa de mortalidade de 100%. Ainda que tenham também sido observados sintomas clínicos associados com o PSCV nos porcos TG, estes não foram graves e os níveis de vírus no sangue foram mais baixos.

Em particular, os ensaios de desafio viral in vitro e in vivo demostraram além disso que estes porcos TG podem limitar eficazmente a replicação do PSCV e reduzir os sinais clínicos e a mortalidade associados ao vírus e a resistência à doença pode ser transmitida de maneira estável à geração F1.

Em conjunto, o estudo demonstrou que a tecnologia de interferência por ARN (ARNi) que combina a tecnologia CRISPR/Cas9 oferecia a possibilidade de produzir animais TG com uma melhor resistência à infecção viral.

O uso destes porcos TG reduz as perdas económicas relacionadas com a PSC e esta estratégia antiviral pode ser útil para futuras investigações antivirais.

Xie Z, Pang D, Yuan H, Jiao H, Lu C, Wang K, et al. (2018) Genetically modified pigs are protected from classical swine fever virus. PLoS Pathog 14(12): e1007193. https://doi.org/10.1371/journal.ppat.1007193

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags