Leia este artigo em:

Preferência das porcas gestantes por diferentes materiais de enriquecimento ambiental

Este estudo investigou a preferência dos animais por diferentes materiais de enriquecimento numa exploração comercial de 5600 porcas situada a este dos Estados Unidos.

5ª feira 30 Novembro 2017 (há 11 dias)

A crescente preocupação pública com o bem-estar dos animais da exploração está a impulsionar tanto as iniciativas legislativas como as forças de mercado para mudar a maneira como as porcas são alojadas e manejadas.

Este estudo investigou a preferência dos animais por diferentes materiais de enriquecimento numa exploração comercial de 5600 porcas situada a este dos Estados Unidos.

As porcas gestantes foram alojadas em grupos estáticos de pré-implantação de aproximadamente 75 porcas por curral e alimentadas através de uma estação electrónica de alimentação. Em cada curral foi introduzido um dos três materiais de enriquecimento (OBJ) seguintes: cordas de roupa, paus de borracha pendurados ou um bloco de madeira fixo. Foram recolhidos dados sobre conduta dos 18 currais durante a duração do estudo nos dias 1, 3, 5 e 14 (DIA) que as porcas estiveram no curral e em momentos específicos de cada dia (HORA). Para a actividade diurna, os dados foram recolhidos em três blocos de 2 h (entre 08:00 e 10:00, 11:00-13:00 e 14:00-16:00 por cada curral) e os dados nocturnos foram recolhidos no dia 1 em três blocos de 1 h (entre 22:00 e 23:00, 00:00-01:00 e 02:00-03:00). Os comportamentos registados incluiram a proporção de tempo de observação que os animais interagiram com o objecto, a proporção de animais no curral que interagiram com o objecto e a postura (em pé / deitado) de cada animal no curral. As pontuações de lesões foram registadas antes da mistura e duas semanas depois da mesma como um indicador da agressão social.

A proporção média de tempo de observação que as porcas estiveram em contacto com a corda de roupa (62,4%) foi significativamente maior que a proporção média observada para os paus de borracha (31,5%) e significativamente maior que a proporção média observada nos currais onde foi colocado um bloco de madeira (24,3%). A análise ANOVA indicou uma interacção significativa entre OBJ e DIA e OBJ e HORA na proporção de tempo de observação que as porcas estiveram em contacto com os objectos de enriquecimento. As análises post hoc utilizando a correcção de Bonferroni mostraram que em cada dia e periodo de observação, a proporção de tempo de observação em que as porcas estiveram em contacto com o material de enriquecimento foi significativamente maior que nos currais com cordas de roupa que nos currais com borracha ou madeira.

Estes resultados indicam que as porcas podem mostrar preferências claras pelo tipo de material de enriquecimento, neste caso as porcas interagem com as cordas de roupa significativamente mais frequentemente ao longo do estudo, para cada hora de amostragem. No entanto, não houve diferenças significativas na gravidade das lesões ou na actividade das porcas entre os três tipos de materiais de enriquecimento utilizados, o que sugere que os padrões de comportamento comuns, inclusive o estabelecimento de uma hierarquia social, prevalecem sobre a procura do enriquecimento disponível. São necessários estudos adicionais para compreender como é que as preferências pelos materiais de enriquecimento poderão ser utilizadas para afectar potencialmente a productividade e o bem-estar das porcas.

Kristina M.Horback, Meghann K.Pierdon, Thomas D.Parsons. Behavioral preference for different enrichment objects in a commercial sow herd. Applied Animal Behaviour Science. Volume 184, November 2016, Pages 7-15. https://doi.org/10.1016/j.applanim.2016.09.002

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags