Leia este artigo em:

Digestibilidade de P em dietas à base de ervilhas de variedade baixa em P fítico

A suplementação com fitase aumenta a digestibilidade do P e aminoácidos em variedades de ervilhas com baixo P fítico.

5ª feira 15 Outubro 2015 (há 3 anos 11 meses 7 dias)
gosto

A cevada e as ervilhas são ingredientes comuns nas dietas para animais monogástricos no Canadá. No entanto, são fontes baixas de fósforo (P) já que uma grande quantidade do P está ligado como P fítico. Os objectivos deste estudo foram determinar a digestibilidade ileal do N, aminoácidos (AA) e a digestibilidade total aparente do P e a energia, em porcos em crescimento alimentados com dietas à base de cevada baixa em fitato (BPC), dietas à base de ervilha forrajeira baixa em fitato (BPG) ou ervilha forrajeira a níveis normais de fitato (NPG) e também foi determinado o efeito da suplementação com fitase sobre a digestibilidade dos nutrientes nas dietas BPG e NPG. Foram utilizados cinco machos castrados canulados ilealmente (43.6 ± 1.3 kg PV)  num desenho de quadrado latino 5x5 para determinar a digestibilidade ileal aparente (AID) e standartizada (SID) do N e AA nas BPG, BPC e na NPG e a digestibilidade total aparente (ATTD) do Ca, P e energia nas dietas. Além disso, foram determinados os efeitos da suplementação com fitase (500 FTU/kg) nas dietas que continham BPG ou NPG. As dietas experimentais continham 869, 868 ou 870 g / kg BPC, BPG e NPG, respectivamente, como única fonte de N. O conteúdo de fitato P foi 0,4, 0,7 e 2,0 g / kg para BPC, BPG e NPG, respectivamente. Foi utilizado dióxido de titânio (3 g / kg) como marcador indigestível. Cada periodo experimental durou 8 dias, sendo dias 1-4 adaptação, dias 5-6 recolha de urina e fezes, dias 7-8 recolha do conteúdo ileal.

A ATTD da MS e EB não foi diferente entre as dietas e não foi afectada pela adição de fitase. A ATTD do Ca e P foi maior (P<0.05) em BPC que no BPG e NPG. A suplementação das dietas BPG e NPG com fitase incrementou (P<0.05) a ATTD de Ca e P. A AID do N e dos AA, excepto Met, foi maior (P<0.05) na BPG e na NPG que no BPC, mas houve diferença entre BPG e NPG. A dieta baseada em BPC teve uma digestibilidade da EB e MS semelhante, mas inferior em AA, N e maior digestibilidade de Ca e P em comparação com BPG e NPG. As dietas BPG tiveram maior digestibilidade de Ca e P, mas semelhante para os AA, N, MS digestibilidade e EM em comparação com as dietas NPG. Portanto, menos P inorgânico pode ser incluído em dietas formuladas com BPG que nas NFG, minimizando assim os custos de alimentação e a redução da excreção de P associado à adição de P inorgânico.

Kahindi, R.K., Thacker, P.A. and Nyachoti, C.M. 2015. Nutrient digestibility in diets containing low-phytate barley, low-phytate field pea and normal-phytate field pea, and the effects of microbial phytase on energy and nutrient digestibility in the low and normal-phytate field pea fed to pigs. Animal feed science and technology, 203; 79-87. doi:10.1016/j.anifeedsci.2015.02.009

Artigos relacionados

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags