Leia este artigo em:

Efeito dos teores dietéticos ricos em proteínas e lisina e baixo teor de gordura e fibras na qualidade da carne de porco

O objectivo do presente estudo foi determinar como os níveis variáveis de proteína, lisina, gordura e fibra nas dietas suínas afectaram o crescimento de porcos e a qualidade da carne.

5ª feira 27 Junho 2019 (há 3 meses 22 dias)
gosto

A alimentação representa cerca de 60 a 75% do custo total da produção de carne de porco, portanto um conhecimento profundo dos princípios da nutrição é essencial para a manter lucrativa. A alimentação com níveis mais elevados de proteína tem sido associada a melhorias na composição da carcaça, com menor conteúdo de gordura intramuscular e menos carne macia.

Portanto, o objectivo do presente estudo foi determinar como os níveis variáveis de proteína, lisina, gordura e fibra nas dietas suínas afectaram o crescimento de porcos e a qualidade da carne.

Para este propósito, um total de 12 leitões cruzados castrados (± 4 meses de idade e 63,5 kg) foram selecionados e distribuídos aleatoriamente em dois grupos: ração comercial para suínos (proteína mínima 14%, lisina mínima 69%, gordura mínima 6,8%, fibra máxima 8,7%) e ração enriquecida (proteína mínima 22%, lisina mínima 1,55%, gordura mínima 1,80%, fibra máxima 2,6%). Os porcos foram alimentados com as dietas experimentais por 56 dias.
O peso corporal (PC) foi registado semanalmente. A carcaça quente foi pesada, avaliada a cor NPPC, a firmeza NPPC, o marmoreado NPPC, a área de lombo e a espessura da gordura dorsal a nível da décima e da última costela. Foi calculado o rendimento da carcaça e a percentagem de tecido magro.

Como resultado, houve diferenças mínimas entre as dietas em relação aos pesos semanais e à qualidade da carne de porco. No entanto, com a dieta enriquecida, houve um maior GMD para a semana 1 (1,21 kg vs. 0,76 kg), isto é provavelmente devido ao ganho compensatório relacionado com a mudança de ração. Os leitões alimentados com ração enriquecida apresentaram maior rendimento de carcaça (74,7 vs. 71,0%) e maior quantidade de gordura na última costela (2,79 cm vs. 2,03 cm). Além disso, a alimentação enriquecida resultou em maiores valores de L * no lombo, mas não foram observadas diferenças visuais na cor da NPPC. Os leitões alimentados com a dieta enriquecida tenderam a ter maiores pontuações musculares e maiores áreas de lombo.Todas as outras medições e cálculos não foram significativamente diferentes. No entanto, os leitões alimentados com a dieta enriquecida mostraram uma gordura mais firme do que os leitões alimentados com uma dieta comercial.

Estes resultados sugerem que dietas ricas em proteína e lisina e pobres em gordura e fibras levam a um maior rendimento da carcaça e, aparentemente, a uma cor mais clara. Portanto, estas carcaças devem levar a um maior rendimento económico.

Price, H., Williamson, S., Henson, J., and Mc Keith, A. G. (2019). Effects of various levels of protein, lysine, fat, and fiber on swine growth and pork quality. Meat and Muscle Biology, 1(3), 157-157. https://doi.org/10.221751/rmc2017.152

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags