Leia este artigo em:

Compostagem em carcaças de porco infectadas com DESv

O presente estudo teve o objectivo de quantificar, através de qRT-PCR, a persistência do ARN do DESv em diversas combinações tempo-temperatura sobre carcaças infectadas de leitões submetidas a compostagem.

3ª feira 21 Agosto 2018 (há 2 meses 25 dias)
gosto

O vírus da diarreia epidémica suína (DESv) é uma doença entérica que se tornou uma ameaça mundial para a saúde e produção suína. Foram realizadas investigações substanciais para avaliar a viabilidade do vírus em superfícies de veículos e equipamentos, alimentos e água e superfícies de produção, mas pouco se sabe sobre a persistência nos cadáveres infectados com DESv e sobre os métodos eficientes para a sua eliminação.

O presente estudo teve o objectivo de quantificar, através de qRT-PCR, a persistência do ARN do DESv em diversas combinações tempo-temperatura sobre carcaças infectadas de leitões submetidas a compostagem. Ainda este método não distinga entre vírus infecciosos e não infecciosos, é um teste rápido e simples para avaliar a evidência do genoma do vírus.

No primeiro estudo, o DESv foi suspenso em meio de cultura celular a 1×105 DICT50 por amostra (tamanho da amostra de 1 ml) e foi submetido a várias combinações de tempo e temperatura em triplicado, incluindo temperaturas de 37, 45, 50, 55, 60, 65, 70 °C e tempos de exposição de 0, 1, 2, 3, 4, 5, 7 e 14 dias. Para todas as temperaturas, as cópias de ARN viral diminuíram com o tempo, com o declive mais marcado e rápido a 65 e 70 °C. O ARN detectável persistiu durante todo o ensaio em todas as condições menos nas mais extremas, onde duas das três amostras incubadas a 70 °C produziram ARN viral indetectável após 14 dias. No segundo estudo, carcaças de leitões infectadas com DESv foram submetidas a dois ciclos de compostagem com uma duração de 36 e 37 dias, respectivamente, para um tempo total de compostagem de 73 dias. A compostagem foi realizada em filas triplicadas localizadas dentro de salas biosseguras, com clima controlado, que utilizavam caixas isoladas desenhadas para representar uma fila contínua. As temperaturas alcançaram os 35-57 °C durante os 26 dias do ciclo 1 e 35-45 °C durante os 3 dias do ciclo 2. As amostras, que consistiam em material de carbono com ou sem tecido descomposto segundo a disponibilidade por local de amostragem recolhido em 10 localizações ao longo da secção sección transversal e cada fila após os ciclos de compostagem um e dois, não originaram RNA viral detectável.

Estes resultados mostram que a compostagem parece ser um método eficaz de eliminar carcaças de leitões infectados com DESv nas condições testadas. A combinação de tempo e alta temperatura do ciclo de composto degradou efetivamente o RNA viral no meio de cultura de células. Matrizes complexas de material de compostagem coletadas das linhas produziram ARN de DESv indetectável por qRT-PCR após um ciclo de compostagem de 36 dias, apesar da decomposição incompleta do tecido mole.

Sarah Vitosh-Sillman, John Dustin Loy, Bruce Brodersen, Clayton Kelling, Kent Eskridge and Amy Millmier Schmidt; Effectiveness of Composting as a Biosecure Disposal Method for Porcine Epidemic Diarrhea Virus (PEDV)-Infected Pig Carcasses; Porcine Health Management20173:22 https://doi.org/10.1186/s40813-017-0068-z

Artigos relacionados

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags