Leia este artigo em:

Cloridrato de pioglitazona e vitamina E na dieta dos porcos

O cloridrato de pioglitazona afecta os níveis de glucose no sangue e a deposição de gordura no músculo Longissimus thoracis assim como o marmoreado nos porcos de engorda.

5ª feira 10 Janeiro 2019 (há 5 meses 7 dias)
gosto

O conteúdo em gordura muscular e a composição de ácidos gordos estão associados à qualidade da carne, intrínseca da carne de porco. O cloridrato de pioglitazona (PGZ) é um novo tipo de sensibilizador da insulina que afecta os níveis de glucose no sangue e a deposição de gordura, aumentando a gordura intramuscular (GRIN) no músculo Longissimus thoracis assim como o marmoreado nos porcos de engorda. No entanto, são desconhecidos os efeitos do PGZ na composição dos ácidos gordos musculares da carne de porco.

O presente estudo colocou várias hipóteses, nomeadamente que o uso de PGZ poderá aumentar a GRIN da carne de porco e que a suplementação com Vitamina E (VE) poderá compensar a estabilidade oxidativa, o que pode resultar em mudanças na composição dos ácidos gordos.

Para esta hipótese, um total de 160 porcos Duroc × Landrace × Large White (75,53 ± 0,04 kg PV) foram divididos ao acaso num desenho factorial 2×2 com 2 níveis suplementares de PGZ (0 ou 15 mg/kg) e 2 níveis suplementares de VE (0 ou 325 mg/kg) na dieta basal (que já continha 75 mg/kg VE). Os quatro tratamentos incluíram: controlo (dieta basal com 75 mg/kg de VE), PGZ (dieta basal mais 15 mg/kg de PGZ), VE (dieta basal e 325 mg/kg de VE) e PGZ+VE (dieta basal com 15 mg/kg de PGZ e 325 mg/kg de VE). Os porcos foram alimentados com as dietas experimentais durante 28 dias e depois foram enviados para matadouro para abate e posterior avaliação de rendimento e da qualidade da carne.

O tratamento dietético não teve efeito sobre o GMD, IMD e índice de conversão. No entanto, o uso de PGZ aumentou a gordura intramuscular e a VE diminuiu as perdas por cocção. A VE aumentou o nível de ácidos gordos poli-insaturados totais (PUFA), tanto para C18:2n-6 e C18: 3n-3 como para 18:3n-3. Este aumento, devido à VE, acentuou-se quando foi combinado com PGZ. Além disso, a VE tendeu a aumentar a actividade da superóxido dismutase e a glutatião peroxidase, ambos indicadores do estado antioxidante muscular.

Em conclusão, o PGZ e a VE tiveram efeitos positivos na qualidade da carne de porco ao diminuir a perda por cocção e ao aumentar a gordura intramuscular e a capacidade antioxidante. O uso de PGZ e VE na dieta pode ter efeitos positivos na qualidade da carne de porco e pode ser útil para melhorar o perfil de ácidos gordos.

Jin, C. L., Gao, C. Q., Wang, Q., Zhang, Z. M., Xu, Y. L., Li, H. C., Yan, H. C., and Wang, X. Q. Effects of pioglitazone hydrochloride and vitamin E on meat quality, antioxidant status and fatty acid profiles in finishing pigs. Meat science 145 (2018): 340-346. https://doi.org/10.1016/j.meatsci.2018.07.008

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags