mantenha-se informado com o canal rss da secção

Exposição de um caso clínico todos os meses preparado por veterinários de campo de diferentes países

Coccidiose

24-Jul-2009 (há 5 anos 1 meses 29 dias)

Descrição da Exploração


O caso aparece numa exploração de ciclo fechado de 700 porcas com maneio em sítios múltiplos, descritos a seguir:
- zona de partos onde os leitões saem entre os 19 a 21 dias de vida com um peso compreendido entre os 5 a 6 kg.
- zona de baterias situada a uns 10 km da zona de partos.
- vários sítios de engorda com maneio tudo dentro-tudo fora.

Tanto o sítio de partos como o das baterias se encontram numa zona da Bretanha francesa com elevada densidade suína.

As primíparas de substituição e a ração são compradas no exterior enquanto que as doses de sémen para a inseminação produzem-se na própria exploração.

A água procede da rede de fornecimento comum para ambos sítios, tanto de partos como de baterias.

Estatuto sanitário

Doença
Estatuto
Vacinação porcas
Vacinação leitões
Aujeszky
Indemne
Não vacinadas
Não vacinados
PRRS
Estável inactivo
Vacinação com vacina viva
Não vacinados
Micoplasma
Positivo
Vacinadas
Não vacinados
Actinobacillus pleuropneumoniae
Sem sinais clínicos
Não vacinadas
Não vacinados
PCV2
Sem sinais clínicos
Não vacinadas
Não vacinados
E coli K88-K99
Positivo
vacinadas
Não vacinados
Parvovirus-Mal rubro
Positivo
vacinadas
Não vacinados
Rinite atrófica
Sem sinais clínicos
vacinadas
Não vacinados


Resultados técnicos

Os resultados técnicos do sítio de partos são muito bons:

 
  • Índice de partos > 90%
  • Desmamados por ninhada > 11,3

Tal como os resultados das baterias:

 
  • Índice de mortalidade < 1,5%.
  • Ganho Médio Diário (8-30) = 475 g


Aparecimento do Caso


A presença de diarreias nos leitões desmamados dentro dos 15 dias após a sua entrada põe em alerta o suinicultor que decide contactar o veterinário.

Programa-se uma visita à exploração para o dia seguinte ao telefonema visitando tanto o sítio de partos como o das baterias.

 

Visita à Exploração

Visita ao sítio de partos

Em geral a exploração encontra-se em bom estado de conservação.
 

Quarentena
 
  • As primíparas são alojadas numa zona de quarentena com cama de palha e maneio tudo dentro-tudo fora.
  • Tanto o plano de vacinação como o de contaminação são correctos.
  • Não se observa nenhuma patologia a destacar.
Cobrição
 
  • Todos os animais apresentam um bom estado.
  • Resultados reprodutivos:
    • Taxa de fertilidade >90%
    • Taxa de abortos <1%
  • Nada a destacar.

Maternidade

 
  • Os leitões apresentam um bom aspecto ao nascimento: são relativamente homogéneos e vigorosos.
  • O índice de nados mortos é < 6% desde o último semestre e ultimamente não aumentou.
  • Nas duas últimas bandas de partos uma ninhada num total de 45 apresentou diarreia neonatal com a administração oral de uma uma associação de amoxicilina-colistina durante 3 dias, desapareceu a diarreia.
  • A descida do leite é correcta.

Em resumo, em princípio não se observa nada anormal. O último controle para PRRS realizou-se há um mês e não se realizaram exames complementares.

Visita às baterias

 
  • NAs baterias metem-se leitões todas as semanas. Há 5000 lugares no total e o maneio em bandas mantém-se.
  • Os leitões recebem uma ração de primeira idade com colistina (120 ppm), tilosina (400 ppm) e oxibendazol (42 ppm). A ração de segunda idade não se suplementa.


Observações
 

Idade
Observações
Outros
3 semanas
-As condições ambientais (aquecimento, higiene, superfície disponível…) são satisfatórias.
-Ausência de tosse.
-Sem presença de diarreias.
-Leitões entrados há 3 dias.
4 semanas
-As condições ambientais são também boas.
-Observa-se o aparecimento de diarreias em 2 de 3 parques.
-a diarreia é líquida e de cor acizentada e aparece desde há 2 dias.
-A colistina por via oral mostrou-se ineficaz.
-Os consumos de ração de primeira idade eram bons mas segundo o suinicultor diminuiram de forma importante após o aparecimentos das diarreias.
5 semanas
-Presença de diarreias apesar do tratamento com colistina.
-Aproximadamente 3-4% dos animais apresentam atraso apesar dos tratamentos injectáveis repetidos com uma associação lincomicina-espectinomicina.
-Sem presença de tosse.
-O consumo de alimento é praticamente normal.
6 - 7- 8 - 9 semanas
-Não se observa diarreia mas estas bandas estiveram menos afectadas que as observadas anteriormente.
-Aproximadamente 1% dos animais apresentam atraso no crescimento se bem que isto não nos tinha referido o suinicultor.
-O consumo de ração de segunda idade é satisfatório.

Porcos doentes
Porcos lânguidos

Conclusões da visita

Da visita constata-se:
 

 
  • Ausência total de sinais digestivos na zona de partos.
  • Diarreia precoce após a entrada no sítio 2 apesar da suplementação na ração de primeira idade.
  • Resposta medíocre ao tratamento oral com colistina e aos tratamentos injectáveis com lincomicina-espectinomicina.


Análises Complementares

Decide-se enviar para o laboratório 2 leitões de 35 dias de vida e 2 de 28 dias todos eles vivos mas com problemas de crescimento (peso médio inferior a 20% da média do lote) e com presença de diarreia.
Pede-se uma autópsia, bacteriologia, parasitologia e histologia nos porcos mais velhos.
Não se analizam amostras de água já que tinham sido analizadas várias semanas atrás e o sistema de tratamento não apresentava nenhum tipo de falha.

Resultados das análises

Animal
Lesões observadas durante a autópsia
Bacteriologia e parasitologia
Histologia
N°1 (26 dias, 5 kg) Tiflocolite
Muco esverdeado dentro do intestino delgado
Hipertrofia mesentérica
Estômago vazio
E. coli
Raras formas espiralizadas
Numerosa presença de Balantidium coli
1100 oocistos de Isospora suis/g de fezes
Não se pediu
N°2 (28 dias, 7 kg) Tiflocolite com conteúdo acinzentado
Conteúdo mucóide no intestino delgado
Estômago semi-cheio
Hipertrofia mesentérica
E. coli
Raras formas espiralizadas
Várias tricomonas
370 oocistos de Isospora suis/g de fezes
Não se pediu
N°3 (35 dias, 7 kg) Conteúdo líquido acinzentado no cego e diarreico no cólon
Hipertrofia mesentérica
Estômago vazio
E. coli
Numerosa presença de Balantidium coli
Numerosas formas curvas e ausência de formas espiraladas
1100 oocistos de Isospora suis/g de fezes
Ausência de lesiões significativas
Placas de Peyer e gânglios normais
N°4 (35 dias, 6 kg) Tiflocolite cor de mostarda
Hipertrofia mesentérica
Estômago vazio com pequenas úlceras ao nível do píloro
E. coli
Numerosas tricomonas
Raras formas espiraladas e numerosas formas curvas
1100 oocistos de Isospora suis/g de fezes
Presença de numerosos esquizontes e gamontes nas células do ílión e o cólon
sem lesões ao nível dos órgãos linfáticos
Coccidiose

Diarreia cinzenta
Conteúdo líquido

Conclusão
 

 
  • Presença de oocistos de coccidios em 4/4 porcos
  • Ausência de bactérias com um poder patogénico significativo
  • Lesões características de coccidios em 1/2 porcos
  • Ausência de lesões linfóides relacionadas com etiologia devida a PCV2


Medidas Tomadas

Tendo em conta a idade na qual aparecem os problemas, a ausência ou ausência relativa da eficácia dos tratamentos antibióticos e os resultados das análises, o veterinário decide propor um tratamento curativo nas bandas afectadas e um preventivo nas seguintes contra a coccidiose.
 

Tratamento curativo dos leitões nas baterias
 
  • Distribuição de toltrazuril em todas as bandas afectadas através da bomba dosificadora e durante um período de 2 dias.
Tratamento preventivo das bandas seguintes:
 
  • Primeira idade:
    • Incluír decoquinato na ração de primeira idade à espera de desmamar os lotes que tenham recebido a prevenção toltrazuril ao nascimento.
    • Desinfecção dos locais com um desinfectante com forte poder contra os oocistos.
  • Maternidade:
    • Distribuição sistemática oral de toltrazuril a todos os leitões ao segundo dia de vida.


Evolução do Caso

Todas as medidas tomadas mostraram-se totalmente eficazes.


Comentários

O presente caso clínico, com problemas de diarreias nos leitões desmamados dentro dos 15 dias após a sua entrada nas baterias, apareceu numa exploração de ciclo fechado de 700 porcas com maneio em sítios múltiplos situada numa zona de elevada densidade suína da Bretanha francesa.

A exploração divide-se em zona de partos, baterias a uns 10 km e vários sitios de engorda.

Após as diferentes análises realizadas conclui-se que se trata de um caso de coccidiose. Este caso permite-nos ilustrar vários pontos que parecem interessantes:
 

 
  • A problemática "diarreia cinzenta" tem sido largamente discutida na literatura e em congressos e reuniões.
  • A problemática do "atraso" ou a "heterogeneidade" dos grupos encontra-se hoje muito em voga devido ao papel do PCV2 (causador do sindroma do atraso no crescimento), na actualidade amplamente apresentado.

Este caso tinha como objectivo demonstrar a importância do processo de diagnóstico num momento onde o veterinário parece tristemente esquecido. Não se trata neste caso de debater o papel ou a importância do PCV2 já que não se demonstrou a sua presença. Pelo contrário, trata-se de não esquecer que atraso no crescimento-diarreia-heterogeneidade não são, afortunadamente, uma prerrogativa do PCV2.

O caso clínico do mundo

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3

Insere um novo comentário

captcharecarregar

tags